Cuiabá, 09 de Dezembro de 2022
logo

26 de Dezembro de 2016, 16h:20 - A | A

POLÍTICA / "SOBRAS" DA COPA

Estado e consórcio fecham acordo para retomar a obra do VLT

Wilson Santos diz que valor do km será menor que o praticado nas obras de implantação do sistema nas cidades de Goiânia e Rio de Janeiro

FRANCISCO BORGES
DA REDAÇÃO



O secretário de Cidades, Wilson Santos (PSDB), confirmou, nesta segunda-feira (26), que o Governo do Estado e o Consórcio VLT fecharam acordo para a retomada da obra do modal de transporte coletivo urbano.

As duas partes chegaram a um entendimento no último fim de semana e, segundo o secretário, a previsão é de que o Estado terá condições de implantar, em Cuiabá e Varzea Grande, "o VLT mais barato do país".

Inicialmente, o consórcio exigia R$ 1,2 bilhão para concluir a obra, orçada inicialmente em R$ 1,4 bilhão, dos quais já foram pagos R$ 1,06 bilhão.

No entanto, um estudo realizado por uma empresa de consultoria contratada pelo Governo apontou que seriam necessários R$ 602 milhões.

Wilson Santos explicou que o valor do quilômetro será menor do que os acordados para a implantação do mesmo sistema de transporte, por exemplo, no Rio de Janeiro - R$ 50 milhões - e em Goiânia - R$ 80 milhões.

O valor final acordado, no entanto, não foi revelado pelo secretário. Ele alegou que o acordo entre as partes precisa do aval da Justiça para ser homologado., considerando que a questão foi judicializada.

"Para que isso seja reconhecido, é necessário que todas as etapas sejam aceitas e ratificadas pela Justiça, que expedirá uma sentença, homologando o acordo entre as partes", disse. 

De qualquer forma, ele previu que a obra do modal seja retomada no começo de 2017.

O acordo

O secretário de Cidades observou que a negociação entre o Governo do Estado e o Consórcio VLT engloba três frentes.

A primeira é sobre a questão financeira, que Wilson classificou como “rentável e com número bem abaixo do que inicialmente se pedia”.

A segunda é sobre o sistema operacional e sobre o tempo de execução da obra, já que o acordo firmado no fim de semana é para a conclusão total do VLT, e não de parte dele.

“São 44 quilômetros de VLT - 22 km entre ida e vinda, entre Cuiabá e Várzea Grande. Nós estamos negociando por completo”, disse o secretário.

A terceira frente é sobre a questão judicial, uma vez que o contrato está judicializado desde 2014, quando a obra foi paralisada.

Wilson Santos informou ainda que, nos próximos dias, estará em Cuiabá, o diretor de implantação do VLT do Rio de Janeiro, José Piccolli Neto.

Como experiência nesse tipo de trabalho, segundo o secretário, ele virá colaborar no processo de execução da obra.

Eixos 

Pelo projeto inicial, o sistema de VLT em Cuiabá e Várzea Grande terá dois eixos: Aeroporto-CPA e Centro-Coxipó.

Os trilhos serão implantados nos canteiros centrais das avenidas João Ponce de Arruda e FEB, em Várzea Grande; XV de Novembro, Tenente-Coronel Duarte (Prainha), Historiador Rubens de Mendonça (do CPA) Escolástico e Fernando Corrêa da Costa, em Cuiabá.

No total, são 22 km de extensão.

 

 

 

Comente esta notícia

walison 28/12/2016

Novamente essa novela,todo dia tem noticias de que o estado esta endividado faltando dinheiro para tudo menos para esse tal de vlt, esse vlt não esta fazendo falta pra ninguem mesmo por que nunca teve, tinha que deixa de lado esse trem e aplicar esse dinheiro em outros setores como saude e segurança que é o que mais precisamos em cuiaba e varzea grande. ISSO É REVOLTANTE.

Soter Nunes 28/12/2016

Agora que gastaram uma grana para recuperar o canteiro da Av do CPA vem novamente essa obra e começa a dedtruir tudo novamente ! Sabe-se lá se no decorrer dessa retomada nāo será paralisada novamente , e daí gastará novamente para "ajustar" a bagunça ! Ora....tenha paciencia !!

Eximido 27/12/2016

Agora esse é o golpe que ele esperava, sua vingança estará completa, já foram gasto cerca de 1 Bilhão de Reais, e para conclusão dizem que deverá ser gasto o dobro, isso por que o Estado está quebrado, imagina se não tivesse, vão meter a mão sem dó mais uma vez, e assim comprovar que o povo Mato-grossense é sim um bando de bobó cheira cheira...

Antônio Torres 27/12/2016

Parabéns Wilson Santos pelo esforço, quando muitos imaginavam que você já estava morto para Cuiabá. Não tenho dúvida que terminando esse VLT, aquela sua velha dívida com a capital estará bem paga.

José Manuel Marta 26/12/2016

E quanto custarão as desapropriados da pra ilha (Cel. Duarte) e Morro da Luz?

William 26/12/2016

Cuiabá e Várzea Grande agradecem.

Sebastian 26/12/2016

Será que agora vai? Pelo espirito do galinho... ou vai ou racha.

eduilson 26/12/2016

até 2.020?

Anderson 26/12/2016

Depois que a cidade está mais arrumada,agora inventam de querer quebrar tudo novamente.VLT pra que?Cuiabá não precisa desse porcaria.

9 comentários

1 de 1