Cuiabá, 01 de Dezembro de 2022
logo

18 de Dezembro de 2016, 13h:45 - A | A

POLÍTICA / LEGISLATIVO CUIABANO

Disputa pela presidência da Câmara vira 'guerra' entre novatos

Oposição e governistas "cantam" vitória; briga deve ficar entre os vereadores eleitos Justino Malheiros e Misael Galvão

FRANCISCO BORGES
DA REDAÇÃO



A disputa pelo comando da Mesa Diretora da Câmara Municipal de Cuiabá começou a ser delineada com as candidaturas dos vereadores eleitos Justino Malheiros (PV) e Misael Galvão (PSB).

Os dois políticos iniciaram, na semana que passou, as articulações em busca de votos.

Nos bastidores, a contabilidade dos votos, feitas pelos próprios candidatos, sugere que ambos estão "empatados".

A votação para a eleição da Mesa Diretora será no dia 1º de janeiro, logo após a cerimônia de posse dos parlamentares eleitos.

Os dois candidatos não anunciaram seus respectivos planos de gestão.

“Foto não ganha voto. Eu já vi muita gente que tirou foto e perdeu a eleição. Por outro lado, nós estamos trabalhando com possibilidades reais de vencer”, disse Misael Galvão.

No decorrer da semana que passou, Malheiros e Misael anunciaram que já conquistaram a maioria (13 votos). O Legislativo cuiabano tem  25 vereadores.

Recentemente, o candidato do PV publicou, nas redes sociais, uma foto em que aparece ao lado de 12 colegas - entre eleitos e reeleitos -, eue supostamente seriam apoiadores de sua candidatura.

O fato foi minimizado pelo candidato do PSB, que criticou o "canto da vitória". 

“Foto não ganha voto. Eu já vi muita gente que tirou foto e perdeu a eleição. Por outro lado, nós estamos trabalhando com possibilidades reais de vencer”, declarou Misael Galvão.

"No que depender de mim, eu e o Misael somos amigos, e podemos, sem problemas, chegar a um consenso. Não sei se ele vai querer, mas nós estamos com uma união e coesão muito grandes", disse Malheiros.

O candidato do PSB afirmou que, além dos 13 votos, que seriam garantidos, está articulando para conquistar o apoio dos indecisos. 

Consenso

Malheiros, que representa a base aliada do prefeito eleito Emanuel Pinheiro (PMDB), disse que seu projeto é de formar uma "chapa de consenso".

"Eu e o Misael somos amigos e, no que depender de mim, podemos, sem problemas, chegar a um consenso. Não sei se ele vai aceitar, mas nosso grupo está coeso. Em reunião recente, por exemplo, já deu para perceber que a maioria quer nossa condução à presidência da Mesa Diretora", disse.     

O vereador eleito pelo PV garantiu o apoio da bancada por seu partido, que ainda tem os vereadores Felipe Wellaton (PV), Mário Nadaf (PV) e Marcos Veloso (PV).

Malheiros também contabiliza o apoio de colegas do PSDB, PSDC, PSL, PRTB, PP, PTC, PSC e Pros.

Apesar das articulações, nenhum dos dois candidatos fechou a chapa com os nomes para a vice-presidência e secretarias.  .

Comente esta notícia

Armando João 19/12/2016

Eita! dizem por aí que esse tal MIsael nem vai ser empossado. E, se por um erro tomar posse, vai ser cassado. A ficha desse cidadão, em matéria de compra de votos, é enorme.

1 comentários

1 de 1