facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 25 de Maio de 2024
25 de Maio de 2024

10 de Novembro de 2010, 23h:16 - A | A

POLÍTICA /

Chico Galindo foca radares e diz que não pensa em reeleição



ISA SOUSA
MIDIANEWS

A volta dos radares eletrônicos às ruas de Cuiabá em 2011 não é vista como polêmica pelo prefeito Chico Galindo (PTB).

O gestor observou que mais cedo ou mais tarde, a Capital terá que adquirir o sistema, já que é uma das exigências da Fifa para a Copa do Mundo de 2014.

"Como ocorreu na África e em outros países modernos que receberam a Copa, Cuiabá terá que passar pelo monitoramento eletrônico em seu trânsito, por meio dos radares, que serão apenas um dos itens de segurança do trânsito na Copa. Estamos iniciando essa discussão e não tenho motivo para polemizar o assunto", afirmou o prefeito.

De acordo com Galindo, por se tratar de um assunto que envolve o Mundial, o projeto será feito a partir de discussões envolvendo o Governo do Estado e a Agência Estadual de Projetos da Copa 2014 (Agecopa). Além disso, não está descartada a possibilidade de audiências públicas ou conferências com a população.

"Nós queremos e vamos discutir com a sociedade a melhor saída. É um processo muito maior do que apenas a implementação pura e simples de radares. É educação de trânsito e diminuição de mortes também", avaliou.

Chico Galindo afirmou que já existe na Prefeitura um edital, que será apresentado na discussão entre Estado, Agecopa e Município, e poderá servir de base para o que será levado a cabo. Porém, contrariamente ao declarado em entrevista à TV Centro América (Globo/4), na semana passada, Galindo negou que edital para os radares possa sair ainda neste ano.

"É uma discussão para o início do ano. Acredito que, no ano que vem, ainda no primeiro semestre, o edital deva ser divulgado e aplicado", disse.

Outro ponto avaliado por Galindo, como possibilidade, é fazer com que a forma da multa ser gerada não implicar, necessariamente, em pagamento. "Pode-se pensar em uma forma de gradação. Tirar pontos da carteira, se o motorista cometer a infração pela primeira vez e, se for reincidente, cobrar. Tudo vai ser discutido", afirmou.

"Não foco reeleição"

O prefeito também se reportou ao aumento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), observando que tem coragem e honestidade para deixar Cuiabá no rumo certo.

Sem citar nomes, o prefeito creditou ao mesmo grupo que polemizou temas nas eleições de 2005 as ações contras as medidas anunciadas.

"Quem fala ou cria polêmica em relação a esses temas não conhece a minha vida e não sabe quem eu sou. Nem sonho com reeleição e, se eu tivesse pensando nisso, jamais tomaria essas decisões. Poderia evitar as medidas, ficar quietinho e empurrar com a barriga até o fim deste mandato", disse.

Comente esta notícia