Cuiabá, 12 de Agosto de 2022
logo

22 de Dezembro de 2017, 12h:00 - A | A

POLÍCIA / APÓS EXECUÇÃO EM COLNIZA

Prefeitos de MT denunciam ameaça de morte; Polícia investiga

As ameaças foram reveladas pelo presidente da AMM, Neurilan Fraga, que comunicou o governador Pedro Taques (PSDB).

DA REDAÇÃO



Dois prefeitos de Mato Grosso afirmam ter sofrido ameaça de morte este ano.

Os casos são investigados pelas forças de Segurança do Estado e foram revelados pelo presidente da Associação Mato-Grossense dos Municípios (AMM), Neurilan Fraga, nesta sexta-feira (22) à imprensa.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

As ameaças foram comunicadas ao governador Pedro Taques (PSDB).

Neurilan explicou que as denúncias foram provocadas por ele, que após o assassinato do prefeito de Colniza (1.065 km a Noroeste de Cuiabá), Esvandir Antonio Mendes, pediu que os demais chefes dos municípios se manifestassem sobre ameaças.

“Fiz um apelo para que todos que tivessem situações parecidas, que me comunicassem para que as providências sejam tomadas. Até agora, dois prefeitos tiveram coragem de falar”, declarou.

Os nomes foram mantidos em sigilo por Neurilan Fraga, que afirma que os casos foram repassados ao secretário de Segurança do Estado, Gustavo Garcia.

“Não queremos divulgar os nomes para não atrapalhar as investigações. Pode ter viés político, pode ser problema pessoal. A gente não sabe”, disse o presidente sobre as possíveis motivações.

Sobre o assassinato do prefeito de Colniza, o presidente da AMM disse que nunca foi comunicado sobre as ameaças que Esvandir vinha sofrendo e sabia apenas que ele teve problemas políticos com os vereadores da cidade.

Assassinato de prefeito

O prefeito conduzia uma Toyota SW4 preta, quando foi interceptado por criminosos, em um veículo SUV, preto, cerca de 7 quilômetros da entrada da cidade. O veículo foi ao encontro da caminhonete, momento que foram efetuados vários disparos contra Esvandir, que ainda conseguiu dirigir, mas morreu no perímetro urbano.

Outros dois disparos feriram o secretário Admilson, sendo um na perna esquerda e outro nas costas. O fato ocorreu por volta das 18h40, do dia 15 de dezembro.

Apontado como mandante da execução de Esvandir, Antônio Pereira Rodrigues Neto foi preso, no sábado (16), junto com dois pistoleiros contratados para o serviço Zenilton Xavier de Almeida e Welisson Brito Silva. A dupla confessou o crime que teria sido "encomendado" pelo empresário.

Antônio é dono de um posto de combustíveis na cidade e uma dívida com o prefeito pode ter motivado o assassinato.

 

Com os bandidos, foram apreendidos R$ 60 mil, em espécie. O dinheiro estava em um pacote do Banco do Brasil, sendo um montante de R$ 50 mil, e outros dois volumes de R$ 10 mil.

Leia mais:

Após execução de prefeito, Governo reforça policiamento em Colniza

Assassinos de prefeito são transferidos para cadeia de Juína

Prefeito pode ter sido morto por causa de dívida; mandante é dono de posto

Comente esta notícia