Cuiabá, 02 de Outubro de 2022
logo

22 de Setembro de 2022, 09h:30 - A | A

POLÍCIA / MÁFIA DOS COMBUSTÍVEIS

PF sequestra bens de donos de postos e prende bando por lavagem de dinheiro e tráfico

A 2ª fase da Operação Jumbo mirou grupo responsável por movimentar milhões de reais provenientes do tráfico de drogas e lavagem de capitais em Mato Grosso.

DO REPÓRTER MT



A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (22), a 2ª fase da Operação Jumbo, que tem como objetivo de desarticular uma organização criminosa voltada ao tráfico de drogas responsável pela movimentação de vultuosas quantias dinheiro. Os lucros eram inseridos no sistema financeiro se valendo postos de combustíveis, mineradora e transportadora.

Os policiais cumpriram 23 (vinte e três) mandados de busca e apreensão, 9 (nove) mandados de prisão preventiva, além do sequestro de diversos bens nas cidades de Cuiabá-MT, Várzea Grande-MT, Cáceres-MT, Alta Floresta-MT, Mirassol D`Oeste-MT, Pontes e Lacerda/MT, Palmeira D`Oeste/SP, Boa Vista/RR e Mucajaí/RR. Todos os mandados expedidos pela 7ª Vara Criminal de Cuiabá-MT.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

A deflagração da 2ª fase da Operação Jumbo decorreu principalmente das análises dos celulares dos investigados, apreendidos na 1ª fase da operação, notadamente do celular do líder da organização criminosa, tendo sido identificadas outras pessoas físicas e jurídicas atuantes nas práticas criminosas, não reveladas na fase inicial das investigações.

Com a ação de hoje, já totalizam quatro postos de combustíveis sequestrados por determinação judicial.

Os investigados nessa 2ª fase da Operação Jumbo poderão responder pelos crimes de lavagem de capitais (art. 1º, caput, da Lei nº 9.613/98) e organização criminosa (art. 2º, caput, da Lei nº 12.850/13), cujas penas somadas podem ultrapassar 18 anos de prisão.
As investigações e diligências contra o tráfico de drogas continuam, com especial atenção à prisão das lideranças e à descapitalização de organizações criminosas.

Álbum de fotos

Reprodução Polícia Federal

Reprodução / Polícia Federal

Reprodução / Polícia Federal

Reprodução Polícia Federal

Comente esta notícia