facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 20 de Junho de 2024
20 de Junho de 2024

22 de Novembro de 2022, 17h:33 - A | A

POLÍCIA / SINAIS DE MAUS-TRATOS

Menores investigados por morte de bebê são internados após receberem ameaça

Bebê tinha sinais de maus-tratos. O laudo da perícia da Politec sobre a causa da morte será entregue nos próximos dias.

DO REPÓRTER MT



O casal de adolescentes de 16 e 17 anos - cujas identidades não foram divulgadas - investigado pela morte de um bebê de dois meses foi apreendido e teve o pedido de internação provisória deferido pela Justiça de Mato Grosso. Eles são os pais da vítima e estariam sendo ameaçados de morte por uma facção criminosa.

A informação foi repassada em coletiva de imprensa realizada na tarde desta terça-feira (22), pela delegada Renata Evangelista da Delegacia Especializada da Mulher, Criança e Idoso, responsável pelo caso.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

No dia 11 de novembro, uma conselheira tutelar do município procurou a central de flagrantes da Polícia Civil e relatou que a criança havia dado entrada na Unidade de Pronto Atendimento do município, com sinais de maus-tratos.

O bebê foi transferido para uma unidade de terapia intensiva pediátrica, em um hospital de Tangará da Serra, mas morreu no dia 15 de novembro.

A especializada abriu inquérito para apurar as circunstâncias da morte da criança. Em decorrência do fato, os adolescentes passaram a receber ameaças de morte pelas redes sociais, inclusive por uma facção criminosa.

Leia mais

Bebê de 2 meses morre com sinais de espancamento após 5 dias na UTI

Diante disso, foi solicitado o pedido de prisão preventiva dos investigados inclusive um pedido de internação provisória.

“A autoria está sendo investigada, por meio de diligências, e a internação provisória é uma medida de natureza cautelar, que serve principalmente para resguardar a segurança dos adolescentes supostamente envolvidos, que estão sendo ameaçados de morte”, explicou delegada.

O laudo da perícia da Politec sobre a causa da morte será entregue nos próximos dias. As investigações continuam para esclarecer a dinâmica dos fatos.

Comente esta notícia