facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 19 de Junho de 2024
19 de Junho de 2024

25 de Maio de 2024, 14h:05 - A | A

POLÍCIA / VÍTIMA CAIU EM EMBOSCADA

Homem é condenado a 21 anos de prisão por matar e atear fogo em namorado da amante

A vítima foi espancada e depois levada desacordada até a estrada de um assentamento, na zona rural de Araputanga.

KARINE ARRUDA
DO REPÓRTER MT



Zulmiro Ribeiro Lopes Júnior foi condenado a 21 anos de prisão por matar e atear fogo em Joseilton Santos Carapiá, servidor público do município de Araputanga (a 338 km de Cuiabá) e namorado de sua amante. A decisão pela condenação de Zulmiro foi dada nesta semana pelo júri popular na cidade onde o crime aconteceu.

A pena considerou o homicídio triplamente qualificado por motivo fútil, emprego de meio cruel e utilização de recurso que dificultou a defesa da vítima, já que o técnico de enfermagem foi esfaqueado e depois teve o corpo carbonizado dentro do próprio carro. Além da prisão, Zulmiro também está sujeito ao pagamento das custas processuais.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Leia mais - Bandido que matou técnico de enfermagem é preso e Polícia busca mulher foragida

As investigações do caso apuraram que, no dia do crime, Claudenice Batista Santos, namorada da vítima e amante do assassino, enviou uma mensagem para o Joseilton, atraindo ele para uma emboscada armada na casa dela. No local, ela e o Zulmiro esfaquearam a vítima. Posteriormente, a levaram para uma estrada de um assentamento, onde atearam fogo nela dentro do automóvel. Joseilton teve grande parte do corpo queimado e morreu dias depois.

“A qualificadora do motivo fútil está demonstrada em razão da triangularização amorosa vivenciada pelo acusado Zulmiro e a vítima Joseilton com a denunciada Claudenice. A qualificadora de meio cruel está evidenciada, já que a vítima foi brutalmente espancada na cabeça com objeto contundente e, após, jogaram gasolina sobre seu corpo e atearam fogo, enquanto ainda estava viva. A qualificadora do recurso que dificultou a defesa da vítima está constatada, tendo em vista que a vítima foi atraída por sua namorada até o local e então surpreendida pelos autores, que já estavam na residência”, diz trecho da denúncia.

Até o momento, Claudenice Batista Santos ainda não foi julgada pois permanece foragida.

O caso

O crime ocorreu no dia 24 de agosto de 2022, quando Joseilton Carapiá foi brutalmente agredido e teve o corpo incendiado, morrendo duas semanas depois, em um hospital de Cuiabá. O técnico de enfermagem morreu no dia 10 de setembro, depois de passar semanas internado com traumatismo cranioencefálico e queimaduras de segundo e terceiro grau.

A vítima foi espancada e depois levada desacordada até a estrada de um assentamento, na zona rural de Araputanga. No local, Claudenice e Zulmiro jogaram combustível em seu corpo e atearam fogo. Joseilton foi encontrado a alguns metros fora de seu veículo.

Socorrido, ele foi levado a uma unidade de saúde de Araputanga, em seguida encaminhada ao Hospital Regional de Cáceres e, posteriormente, ao Hospital Municipal de Cuiabá, onde morreu em consequência das graves queimaduras e do traumatismo craniano.

Comente esta notícia