facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 20 de Maio de 2024
20 de Maio de 2024

07 de Setembro de 2010, 11h:03 - A | A

POLÍCIA /

Avião de pequeno porte pega fogo dentro de hangar

A Gazeta



FERNANDO DUARTE
Da Redação

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Um avião de pequeno porte pegou fogo no hangar da CHC Táxi Aéreo, no Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande. O motor e toda a parte direita do bimotor Sêneca 810, da Embraer, foram destruídos. As chamas chegaram a queimar o teto do hangar, que, após o incidente, foi interditado pelos militares do Corpo de Bombeiros. Ninguém ficou ferido.

De acordo com um funcionário, o fogo começou de dentro para fora do motor direito, enquanto os mecânicos estavam drenando o combustível da aeronave para fazer a manutenção.

No momento do fogo haviam 7 mecânicos no galpão, que não conseguiram controlar as chamas mesmo usando todos os 10 extintores do local. Havia muita fumaça e parte do teto ficou preto. Uma grande quantidade de água estava no chão e a aeronave visivelmente destruída. Os funcionários acreditam que hão haverá como recuperar o motor direito e a asa atingida. "Nada do que tentamos foi suficiente, que bom que eles (bombeiros) chegaram rápido".

De acordo com o 1º sargento e chefe da equipe dos Bombeiros, José de Barros Filho, o fogo começou às 13h30 e foi controlado em 15 minutos. "Havia muita fumaça no local. As chamas chegaram até a parte de cima do galpão". O teto, de mais de 6 metros, ficou chamuscado.

O sargento não soube informar o motivo do incêndio, mas lembrou que uma aeronave de modelo semelhante a queimada parcialmente teve a pintura afetada na lateral. O hangar também continha outro avião de pequeno porte ao fundo, mas não teve a estrutura comprometida. O sargento disse que o hangar está interditado até que o proprietário contrate um engenheiro para fazer uma vistoria e liberar a unidade.

Para o controle das chamas foram deslocadas 3 viaturas que utilizaram um líquido gerador de espuma (LGE), por ser um incêndio originado por combustível de avião.

A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) divulgou uma nota ressaltando a não existência de vítimas e que, junto com as unidades do Corpo de Bombeiros da Seção Contra Incêndio do aeroporto, foi enviada uma equipe do posto médico. "O tempo entre o deslocamento e o combate do fogo foi de 1 minuto e 15 segundos".

 

 

 

A Gazeta

Comente esta notícia