Cuiabá, 20 de Agosto de 2022
logo

28 de Dezembro de 2017, 20h:45 - A | A

PODERES / MUDANÇA NO PAIAGUÁS

Mais cinco secretários devem deixar o Governo de Taques em 2018

A reforma no secretariado ocorrerá no próximo ano porque os integrantes do primeiro escalão pretendem disputar as eleições e devem se desincompatibilizar dos cargos até o dia 7 de abril.

CAROL SANFORD
DA REDAÇÃO



O governador Pedro Taques (PSDB) ainda terá que trocar cinco de seus secretários de Estado em 2018, além dos cinco gestores que já deixaram as pastas neste final de ano e obrigaram Taques a promover uma “engenharia” no staff.

"Todos que quiserem e estiverem aptos pela Justiça Eleitoral têm o direito e devem ser candidatos nas eleições. Todo cidadão que cumprir a lei pode ser candidato", resumiu o governador.

A reforma no secretariado ocorrerá no próximo ano porque os integrantes do primeiro escalão pretendem disputar as eleições e devem se desincompatibilizar dos cargos até o dia 7 de abril.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Taques afirmou que os secretários que desejarem disputar as eleições devem mesmo fazê-lo e terão seu apoio total.

"Todos que quiserem e estiverem aptos pela Justiça Eleitoral têm o direito e devem ser candidatos nas eleições. Todo cidadão que cumprir a lei pode ser candidato", resumiu o governador.

Dois são deputados estaduais, Max Russi (PSB), na Casa Civil, e Wilson Santos (PSDB), na Secretaria de Cidades. Ambos pretendem tentar a reeleição e já anunciaram o retorno à Assembleia Legislativa, em abril.

Russi foi convidado em janeiro deste ano a integrar o staff estadual, inicialmente, na Secretaria de Trabalho e Assistência Social. Em outubro, assumiu o comando da Casa Civil. Já Wilson Santos passou a integrar o Governo depois de perder as eleições para a Prefeitura de Cuiabá, em novembro.

Também estão cotados para a disputa eleitoral os secretários de Educação, Marco Marrafon, de Infraestrutura, Marcelo Duarte, e de Agricultura, Suelme Evangelista (PSB).

Marrafon deve se filiar ao PPS e tentar uma vaga na Câmara Federal. Duarte declarou ter a intenção de deixar a pasta em abril, porém não definiu se será candidato. Já Suelme, cogita ser candidato a deputado estadual, mas em partido ainda a ser estudado, uma vez que irá deixar o PSB, depois que o deputado federal Valtenir Pereira assumiu a presidência da sigla no Estado.

Engenharia no staff

Entre as mudanças já feitas por Taques no secretariado, em dezembro, estão as saídas de Leandro Carvalho da Secretaria de Cultura, de Gustavo Oliveira, da Secretaria de Fazenda, e do vice-governador Carlos Fávaro (PSD), da Secretaria de Meio Ambiente.

No lugar de Carvalho, o governador decidiu colocar o titular do Gabinete de Comunicação, Kleber Lima. O jornalista Marcy Monteiro ficará com o comando da Comunicação do Estado.

Na Sefaz, assumirá o atual procurador-geral do Estado, Rogério Gallo. No lugar dele na PGE, foi designada a adjunta Gabriela Novis Neves. A mudança oficial ocorrerá apenas em meados de janeiro.

Já para a Sema, Taques nomeou o então secretário-executivo da pasta, André Torres Baby.

Também deixaram o staff os presidentes do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Arnon Osny Mendes, e da Empresa Mato-grossense de Tecnologia da Informação (MTI), Paulo Borges.

Borges pediu exoneração depois de desentendimentos partidários com o governador e Arnon decidiu deixar o Governo por motivos pessoais. Taques ainda não definiu os nomes dos substitutos.

Comente esta notícia