Cuiabá, 27 de Novembro de 2022
logo

23 de Novembro de 2016, 11h:48 - A | A

PAPO RETO / TREINO OU TORTURA?

Morte de aluno mancha a imagem do Corpo de Bombeiros

DA REDAÇÃO



Como era se esperar, o Comando Geral do Corpo de Bombeiros recuou e suspendeu, temporariamente, a promoção da tenente Isadora Ledur, investigada por suspeita de  tortura durante treinamento que teria provocado a morte do aluno Rodrigo Patrício Lima Claro, 21, no dia 15 de novembro. Na terça-feira (22), o comandante do CB, coronel Júlio César Rodrigues, anunciou que a comissão de promoções da corporação, composta por quatrooficiais, optou por aguardar a fim do Inquérito Policial Militar (IPM), que apura se houve excesso da oficial durante os treinamentos de nado, na Lagoa Trevisan, no dia 10 de novembro.

 

Curiosidade: o coronel admitiu que a tenente foi alvo de uma denúncia anônima sobre supostos abusos em curso anterior. A denúncia foi feita ao Ministério Público Estadual (MPE). A tenente seria promovida a capitão.

Cinco oficiais e sete praças da Diretoria de Ensino da Corporação foram afastados até a conclusão do inquérito, o que deve acontecer no dia 20 de dezembro. Enquanto isso, a família de Rodrigo acusa a tenente Isadora de prática de tortura, além de apontar omissão de socorro no momento em que o então aluno sentiu mal-estar. A pergunta que não quer calar é: os alunos do Corpo de Bombeiros em Mato Grosso são submetidos a treinos ou a sesões de tortura?

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Comente esta notícia