facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 19 de Junho de 2024
19 de Junho de 2024

12 de Dezembro de 2022, 08h:44 - A | A

OPINIÃO / VANESSA MORAES

Você sabe o que faz o fonoaudiólogo?



Apesar de ser uma profissão ainda pouco divulgada, a fonoaudiologia já é uma solução indicada por muitas escolas e por várias especialidades da medicina, para auxiliar no desenvolvimento da criança, do adolescente, do jovem, adulto e idoso. Com isso, sua atuação vai muito além de “ensinar crianças a falar certo”.

O dia do fonoaudiólogo é comemorado no Brasil em 9 de dezembro. Foi nessa data, em 1981, que a profissão foi regulamentada.

Os fonoaudiólogos são responsáveis pelo cuidado, estudo e prevenção de todas as doenças e distúrbios da linguagem humana, através da audição, voz,fala e escrita.

Nos bebês recém nascidos, a atuação fonoaudiológica pode ser iniciada na maternidade, auxiliando no aleitamento materno facilitando uma melhor deglutição para o bebê. Ainda na maternidade é realizado o Teste da Orelhinha e aconselhamentos serão fornecidos para essa mãe dependendo do resultado obtido. O que muitos sabemos é que para a criança desenvolver a fala ela precisa de audição e está sendo prejudicada, o uso do aparelho auditivo deve ser iniciado até os 6 meses de idade.

Ao perceber que o desenvolvimento de fala e linguagem não está acontecendo no momento adequado, a fonoaudióloga deve intervir. Na fase do desenvolvimento da linguagem da criança pode apresentar a gagueira que pode ser funcional ou não. Não hesite: procure um fonoaudiólogo e receba as devidas orientações de como se comportar com crianças que gaguejam, pois alguns cuidados podem favorecer a não instalação da gagueira tão mal esperada. Doenças neurológicas, síndromes, autismo também são doenças nas quais este profissional tem capacidade para intervir.

As trocas na fala podem surgir na escrita e, mais uma vez, cabe a esse valoroso profissional sua colaboração.

O profissional também facilita a respiração bucal, a mastigação adequada e consequentemente com a fala.

Dificuldades de leitura, escrita, fala também tem o tempo certo de serem desenvolvidos. Nunca “espere mais um pouco” para saber se esse quadro se modifica. A intervenção precoce é sempre o melhor caminho para o desenvolvimento sadio.

Faça exames de audição todo início de ano escolar. Infeções nos ouvidos, presença de cera nos ouvidos ou até mesmo uma perda auditiva atrapalham e muito o desenvolvimento escolar. Habilidades importantes para a aprendizagem também são avaliadas pelo profissional fonoaudiólogo.

A principal causa da perda auditiva no mundo é o ruído. Ele pode estar presente em nosso trabalho, laser e atividades de vida diária. O uso de fones de ouvido em alta intensidade é uma das causas desta perda auditiva. E aos funcionários que trabalham em ambientes com alta intensidade de ruído, cabe ao fonoaudiólogo orientar quanto a importância de equipamentos de proteção individual bem como realizar os exames de audição periodicamente nestes colaboradores.

Cantores, atores , locutores, pessoas que desejam ter uma melhor dicção, também se beneficiam do trabalho fonoaudiológico para o aprimoramento da voz e da articulação das palavras. Em casos de patologias como nódulos, pólipos e paralisia das cordas vocais há indicação da intervenção deste profissional.

Quando ficamos mais velhos vamos perdendo algumas habilidades que acontecem naturalmente. É muito comum nos deparamos com idosos com engasgos frequentes, perda de memória e atenção associadas a perda auditiva. É fundamental a atuação do fonoaudiólogo na facilitação da deglutição, nos tratamentos das desordens do processamento auditivo central e na correta seleção e adaptação de aparelhos auditivos. Estatísticas demonstram que 70% das perdas auditivas não tratadas favorecem o aparecimento de demências como o Alzheimer.

Assim, como a Fonoaudiologia atua na prevenção, diagnóstico e tratamento da fala, voz, audição e linguagem, é essencial uma equipe multidisciplinar atuando juntamente. O psicólogo, terapeuta ocupacional, psiquiatra, otorrinolaringologista, dentista, geriatra entre outros, são alguns dos profissionais engajados nestas intervenções.

Os fonoaudiólogos atuam em hospitais públicos ou privados, em clínicas, em centros de saúde, escolas, instituições e empresas.

Como fonoaudióloga, parabenizo meus colegas por esta bela profissão que colabora assiduamente para o que um grande relacionamento aconteça entre as pessoas: a comunicação!

Vanessa Moraes é fonoaudióloga e audiologista na Sonicon, em Cuiabá/MT.

>>> Siga a gente no Twitter e fique bem informado

Comente esta notícia