Cuiabá, 02 de Fevereiro de 2023
logo

23 de Novembro de 2014, 09h:02 - A | A

OPINIÃO / JUACY DA SILVA

Assalto à Petrobras

Será que estamos vivendo ou não em uma República de Ladrões?

JUACY DA SILVA



Costuma-se dizer que com a chegada do PT ao Governo Federal, com Lula e depois Dilma, nos últimos doze anos ocorreu um aparelhamento da administração pública brasileira, tomando de assalto todos os ministérios e empresas públicas, os quais passaram a ser divididos, como troféus, com os demais partidos que fazem parte da chamada base do governo.

Cada partido recebe um quinhão da administração, incluindo ministérios, estatais e outros organismos públicos, os quais passam a ser geridos como se fossem propriedades desses partidos e seus caciques, podendo, de forma livre nomear seus indicados, pouco importando se os mesmos tenham qualificação técnica, ética ou moral para bem gerir a coisa pública.

Vale dizer que esta prática não foi iniciada com o PT, mas apenas foi “aperfeiçoada” e ganhou dimensção avassaladora, ao ponto do jurista Walter Maiarovitch, em recentes entrevistas aos apresentadores Heródoto Barbero, da Rede Record e Leilane, do programa Globo News, analisando os últimos desdobramentos da "Operação Lava Jato", que levaram à prisão diversos altos executivos das dez maiores empreiteiras do país, além de mais um ex-diretor da Petrobras, dizer que nosso país está sendo considerado uma “República dos ladrões” e que está sendo administrado por uma cleptocracia, ou seja, governo de ladrões.

Quando o Governo FHC realizou o seu programa de privatização, o PT, através de Lula e de seus expoentes maiores foram críticos severos daquele programa, acusando o PSDB inclusive de práticas de corrupção. Chegando ao poder, não teve a coragem suficiente para investigar e ir a fundo para apurar se durante a "privataria", como denominam aquele período, ocorreram casos de corrupção Pelo contrário, os governos Lula/Dilma continuaram com a privatização de áreas que o PSDB não tinha conseguido como transportes, rodovias, ferrovias, aeroportos e inclusive na área da saúde.

Diversos escândalos ocorreram durante os oito anos de Lula e nesses quatro de Dilma, onde e quando diversos ministros e integrantes do segundo escalão foram acusados de corrupção e acabaram deixando os seus cargos, os quais foram repassados para outros indicados pelos mesmos partidos e a farra com o dinheiro público continuou impunemente!

O símbolo maior da corrupção durante o governo Lula foi o Mensalão, que pela primeira vez levou alguns políticos importantes para a prisão, se bem que com penas extremamente brandas,quando comparadas com as recebidas por operadores sem mandato, como Marcos Valério e ex-diretora do Banco Rural.

Com o estouro da compra da refinaria nos EUA pela Petrobras, que redundou em prejuizo de mais de um bilhão de dólares, a maior negociata até então vinda a público, imaginava-se que o assunto estava concluído. Ledo engano, com as prisões do doleiro Youssef e do ex-Diretor da Petrobras, Roberto Costa a opinião pública o fio da meada começou a ser puxado e percebeu-seque estamos diante do maior escândalo e roubalheira que se tem notícia na história do Brasil, desde a proclamação da República, há mais de um século. Sob Dilma temos o "Petrolão", se bem que tudo isso começou ainda na gestão Lula.

Diante dos assaltos aos cofres públicos que estão ocorrendo desde início do governo Lula e no atual, é imperioso que as investigações não fiquem restritas ao que se passou ou continua passando na Petrobras e nas empreiteiras, cujos dirigentes também estão ou foram presos É importante que sejam investigadas as relações dessa teia de corrupção com as demais obras de responsabilidade direta ou indireta do Governo Federal, incluindo as obras da Copa, obras do PAC, do setor elétrico e também a relação dessas empresas e esquemas de corrupção com as fontes públicas de financiamento, como o BNDES, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e o uso de recursos bilionários do FGTS, do FAT e outros mais.

Outra linha de investigação importante é a relação da corrupção na Petrobras com as grandes empreiteiras e o papel das mesmas no financiamento da campanha eleitoral deste ano. Conforme dados divulgados pela imprensa as 20 maiores empreiteiras do pais, dez das quais tem dirigentes presos, contribuíram de forma significativa para a candidata Dilma e outros candidatos do PT , do PMDB e demais partidos da base aliada. Qual a origem desse dinheiro doado aos candidatos e partidos?

Será que estamos vivendo ou não em uma República de Ladrões? Somente a PF, o MPF e a Justiça poderão responder esta pergunta que não quer se calar. Os contribuintes, os eleitores e o povo brasileiro merece uma resposta verdadeira e rápida!

JUACY DA SILVA é professor universitário, titular e aposentado da UFMT e mestre em sociologia.

>>> Siga a gente no Twitter e fique bem informado

Comente esta notícia