facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 15 de Julho de 2024
15 de Julho de 2024

01 de Novembro de 2017, 21h:16 - A | A

GERAL / OBRAS DE DRENAGEM

Trecho da Avenida Fernando Corrêa será interditado nesta quinta

A obra é de responsabilidade do Governo Estado e tem um custo de R$ 5,85 milhões. Os projetos são de autoria da Universidade Federal e o prazo para finalização da construção é de seis meses.

DA REDAÇÃO



Um trecho da avenida Fernando Corrêa da Costa será interditado nesta quinta-feira (2), das 6h às 18h, para as obras de drenagem do viaduto da UFMT. Conforme a Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob), a necessidade de interditar a via foi constatada pela empresa responsável pela construção para a abertura de valas transversais e colocação de tubos.

Os trabalhos foram iniciados no início deste mês e visam o fim de alagamentos na região do Viaduto da UFMT. “Mesmo que o fluxo de veículos seja menor por conta do feriado, os agentes de trânsito estarão nas proximidades da obra para auxiliar e garantir a fluidez do tráfego”, explica o secretário de Mobilidade Urbana, Antenor Figueiredo.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Os condutores que estiverem circulando no sentindo Coxipó/Centro devem pegar o desvio na marginal lateral ao viaduto da UFMT e logo após a rua Brasília, entrar na Buenos Aires, seguindo Cidade do México até o acesso novamente para a avenida Fernando Corrêa.

Os motoristas no sentido Centro/Bairro devem acessar a rua Garcia Neto, entrar na rua Lourenço de Figueiredo, fazendo o retorno na avenida Tancredo Neves, pegando a marginal do Viaduto da UFMT e logo entra na avenida Fernando Corrêa da Costa novamente.

A obra                                     

A obra é de responsabilidade do Governo Estado e tem um custo de R$ 5,85 milhões. Os projetos são de autoria da Universidade Federal e o prazo para finalização da construção é de seis meses.

A obra se encontra em um estágio de escavação e assentamento de tubos. Os materiais utilizados são chamados de tubos de PEAD (Polietileno de Alta Densidade), fabricados com derivados petróleo e possuem durabilidade de aproximadamente 75 anos. As perfurações vão ocorrer em torno de todo viaduto da UFMT, parte da avenida Fernando Corrêa e bairro Jardim das Américas.

Comente esta notícia