facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 23 de Junho de 2024
23 de Junho de 2024

17 de Dezembro de 2022, 18h:32 - A | A

GERAL / OPERAÇÃO COVERAGE

Paccola é condenado a quatro anos de prisão por adulterar dados de arma

Ex-vereador foi considerado culpado pelos crimes de falsidade ideológica e inserção de dados falsos em sistema de informações.

APARECIDO CARMO
DO REPÓRTER MT



A Justiça condenou o ex-vereador tenente-coronel Marcos Paccola (Republicanos) a 4 anos e 6 meses de prisão, por fraude no sistema da Polícia Militar. A condenação ocorreu em julgamento na noite dessa sexta-feira (16), pela Vara Militar.

O processo é decorrente da Operação Coverage, deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) em 2019. A operação é a terceira fase da Mercenários, que apurou um grupo de extermínio que cometeu diversos homicídios e tentativas de homicídios entre 2015 e 2016.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Conforme o MP Estadual, Paccola e outros quatro militares usaram seus cargos para beneficiar uma organização criminosa. Juntos, tentavam ocultar a autoria dos crimes do grupo de extermínio adulterando registro e inserindo dados falsos das armas de fogo no sistema informatizado da Polícia Militar.

LEIA MAIS - Vereador diz que inseriu dados falsos no sistema da PM para ajudar tenente

Em janeiro de 2022, Paccola assumiu ter usado a senha de um sargento, que estava salva em seu computador, para inserir dados falsos no sistema, segundo ele, para evitar que um tenente fosse "incriminado injustamente".

“CONDENO o réu TEN CEL PM MARCOS EDUARDO TICIANEL PACCOLA, pela prática dos crimes previstos no artigo 312, do CPM (falsidade ideológica) e art. 313-A do Código Penal (Inserção de dados falsos em sistema de informações), sujeitando-o à pena privativa de liberdade de 04 (quatro) anos e 06 (seis) meses de reclusão, pena que será cumprida inicialmente em regime aberto”, diz trecho da decisão.

O tenente Cleber de Souza Ferreira, que também foi denunciado pelo MP, foi condenado apenas pelo crime de falsidade ideológica, com pena de dois anos de reclusão em regime aberto. Nenhum deles perdeu seu cargo.

LEIA MAIS - MPE quer condenação de Paccola e exclusão da PM por esquema de fraudes

Comente esta notícia