facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 21 de Junho de 2024
21 de Junho de 2024

17 de Dezembro de 2022, 19h:30 - A | A

GERAL / VOLTA À ROTINA

Número de divórcios cai 1,9% em Mato Grosso após fim do isolamento social

Número é o menor registrado desde o ano passado. Isolamento social nos anos auge da pandemia e prática de atos de forma online podem explicar recorde de atos em 2021

DO REPÓRTER MT



O fim do isolamento social causado pela Covid-19 e o retorno das famílias à normalidade de suas rotinas de trabalho e estudo podem ser algumas das razões que fez com que o número de divórcios realizados em Cartórios de Notas, que havia atingindo crescimento recorde durante a pandemia, caísse 1,9% nos 11 primeiros meses de 2022 em comparação ao ano passado, atingindo seu segundo maior número desde 2007.

Em números absolutos foram 1.316 divórcios em Cartórios de Notas entre janeiro e novembro deste ano, frente a 1.341 em 2021, marca recorde na história de Mato Grosso, justamente no ano que marcou o auge da pandemia no país, e que obrigou a adoção de medidas de isolamento social por boa parte dos governos em território nacional. Os meses com maiores quedas foram janeiro, março e novembro.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Os dados constam da Central Notarial de Serviços Eletrônicos Compartilhados (Censec), base de dados administrada pelo Colégio Notarial do Brasil — Conselho Federal (CNB/CF) e que reúne as informações dos 8.354 Cartórios de Notas do país, responsáveis pelos atos de escrituras públicas, procurações, testamentos, atas notariais, autenticações e reconhecimento de firmas.

“Os divórcios em Cartórios de Notas vinham crescendo ano a ano, mas registraram uma explosão por dois motivos: o isolamento social que certamente contribuiu para que relacionamentos que não estavam tão bem fossem terminados, e o lançamento da plataforma e-Notariado, que permitiu a prática de diversos atos notariais em meio eletrônico, inclusive a escritura de divórcio, sem a necessidade de estar lado a lado com o ex-companheiro, de forma fácil, rápida e totalmente digital”, aponta Velenice Dias, presidente da Anoreg/MT.

Na comparação entre os 11 primeiros meses deste ano com o mesmo período de 2020, primeiro ano da pandemia no Brasil, quando foram registrados 1.202 mil divórcios, o aumento foi de 9,5%. Os meses de março, abril e junho foram aqueles com maior aumento. Já entre o primeiro e o segundo ano da crise sanitária da Covid-19 houve crescimento de 11,6% nas dissoluções de casamento no país.

LEIA MAIS - Vacina contra a dengue do Butantan atinge eficácia de 79,6%

Comente esta notícia