Cuiabá, 01 de Dezembro de 2022
logo

15 de Novembro de 2016, 07h:35 - A | A

GERAL / VEJA VÍDEO

Mudanças alimentares e uso de hormônios evitam 75% das doenças, diz médico

Segundo o oncologista Rogério Leite, 75% das cerca de 20 mil doenças conhecidas podem ser prevenidas; "é preciso harmonizar o organismo"

CELLY SILVA
DA REDAÇÃO



Em Cuiabá, uma nova metodologia de promoção da saúde vem sendo colocada em prática com o objetivo não somente de tratar doenças, mas principalmente de prevenir por meio de mudança nos hábitos de vida, o que possibilita evitar a maioria das doenças catalogadas, tanto no aspecto físico quanto psicológico: é a chamada bio harmonia.

"Por que a gente adoece? A gente adoece porque existe uma intoxicação. A gente ingere alguma coisa que não deveria ingerir, ou desnutrição, ou seja, falta alguma coisa que a gente deveria ingerir e não ingere, ou alteração hormonal ou alteração de como é que as coisas funcionam dentro do corpo", explica o médico Rogério Leite.

O médico oncologista Rogério Leite, que na capital é referência no assunto, explica que a proposta da bio harmonia é fazer com que as pessoas vivam de forma mais equilibrada e tenham mais autonomia sobre as interferências que seus corpos sofrem com base em conhecimentos sobre o funcionamento do corpo e sua interação com os alimentos, os hormônios e as emoções. “A bio harmonia é uma situação em que a gente explica para a pessoa como o corpo funciona, explica como a doença funciona, explica como o alimento age, ensina como se faz aquele alimento e trata alguns traumas psicológicos que também influenciam nisso. Então, engloba tudo. É um programa de imersão”, afirma o oncologista.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

A ideia é que sabendo o que é necessário para o equilíbrio do corpo, a pessoa conseguirá evitar as doenças. “Por que a gente adoece? A gente adoece porque existe uma intoxicação. A gente ingere alguma coisa que não deveria ingerir, ou desnutrição, ou seja, falta alguma coisa que a gente deveria ingerir e não ingere, ou alteração hormonal ou alteração de como é que as coisas funcionam dentro do corpo. Então, a gente trabalha com todos esses aspectos que envolvem a promoção da saúde”, diz Rogério Leite.

“Às vezes você precisa repor hormônio, às vezes você precisa encaminhar para terapia, às vezes você precisa mudar a alimentação, às vezes você precisa entrar com a medicação. Mas, de uma forma geral, a gente trabalha muito com suplemento e pouco com medicação”.

A nova metodologia, que emprega, quando necessário, o uso de hormônios bio idênticos (como os produzidos pelo corpo), vem revolucionando o tratamento médico e se apresenta como solução para muitos pacientes que há anos buscavam a cura para problemas, alérgicos, digestivos, hormonais e até para casos de emagrecimento. 

O tratamento, conforme o especialista, consiste no autoconhecimento do paciente e na mudança de hábitos, desintoxicação, aliados à ingestão de substâncias necessárias ao organismo de cada um.

Fatores hormonais

Um dos fatores que mais levam os pacientes a buscarem esse tratamento são os efeitos dos hormônios no organismo. Como exemplo da gravidade que as alterações diárias podem causar, o médico explica a reação deles a um simples pensamento. "Você imagina que seu namorado ou seu marido está traindo você. O que acontece com essa situação? O seu organismo libera um monte de hormônio, aí você tem taquicardia, ansiedade, tem aquela situação que você não consegue nem parar porque você, com aquele pensamento, liberou uma série de hormônios e essa série de hormônios fez uma série de ações. Então, aquilo que não é físico passa a ser físico. Você só criou o pensamento, os hormônios criaram o resto”, exemplifica.

Diante dessas situações, o médico trabalha com todas as possibilidades possíveis de tratamento. “Às vezes você precisa repor hormônio, às vezes você precisa encaminhar para terapia, às vezes você precisa mudar a alimentação, às vezes você precisa entrar com a medicação. Mas, de uma forma geral, a gente trabalha muito com suplemento e pouco com medicação”.

"Na hora que eu te dou um hormônio que é exatamente o que seu corpo produz, ele não vai saber se está produzindo ou se está vindo de fora porque é a mesma composição. Diferente se eu vou na farmácia e te compro um hormônio, aí começam os problemas".

A preferência em atuar com métodos mais naturais possíveis em detrimento dos medicamentos (que são usados em último caso), ocorre para respeitar o equilíbrio do corpo, já que os medicamentos são reconhecidos como corpos estranhos pelo organismo, gerando inúmeros efeitos colaterais.  

Hormônios bio idênticos

Dentre os métodos que mais chamam a atenção dos pacientes é a reposição hormonal. No âmbito da bio harmonia, o médico trabalha com hormônios bio idênticos, ou seja, que são produzidos pelo próprio organismo da pessoa com o estímulo do tratamento ou produzidos de forma manipulada.

Segundo o médico Rogério Leite, o uso de hormônios no tratamento chama atenção dos pacientes por causa da relação que existe com o surgimento de câncer, mas ele explica o diferencial dos hormônios bio idênticos. “É diferente eu dar para você testosterona ou progesterona, ou estradiol ou estrona, que são hormônios que o seu corpo tem ou te dar alguma coisa que seu corpo não conhece. Na hora que eu te dou um hormônio que é exatamente o que seu corpo produz, ele não vai saber se está produzindo ou se está vindo de fora porque é a mesma composição. Diferente se eu vou na farmácia e te compro um hormônio, aí começam os problemas, vêm as associações com câncer, associações com outras doenças que são problemáticas porque o hormônio não é bio idêntico, não é o mesmo que o corpo produz”, explica. 

 

Confira abaixo a entrevista onde o médico Rogério Leite fala sobre a bio harmonia:  

Comente esta notícia