Cuiabá, 29 de Janeiro de 2023
logo

22 de Novembro de 2014, 16h:46 - A | A

GERAL / LAGO DE MANSO

Imperícia de piloto de lancha pode ter provocado acidente em que jovem teve perna dilacerada

Lancha foi apreendida por Marinha para perícia. Processo investigativo deve ser concluído daqui 30 dias.

JOÃO RIBEIRO
DA REDAÇÃO



A lancha que a estudante Flávia Andrade estava, quando caiu da escada nas águas do Lago do Manso e teve a perna dilacerada pela hélice da embarcação, foi apreendida pela Marinha do Brasil.

Ao RepórterMT, o comandante da corporação em Cuiabá, capitão de corveta Alessandro Aniltom Maia Nonato, disse nesta sexta-feira (21) que já abriu um processo administrativo para apurar o caso.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

“Na quinta-feira (20), dia do incidente, instauramos o processo investigativo, apreendendo a embarcação e a lacrando. Nossos peritos estão analisando a lancha. O laudo tem 90 dias para ser concluído, mas acredito que no máximo 30 dias devemos finalizá-lo”, explicou.

Segundo o comandante, a embarcação e o piloto estavam com todos os documentos regulares. “No momento do incidente, nossos homens checaram de imediato todos os documentos do barco como do piloto. O que analisamos também era que os tripulantes estavam usando coletes salva-vidas, tudo dentro das normas de segurança”, destacou.

Para o capitão de corveta da Marinha, caso seguissem uma cartilha disponibilizada em todas as marinas do Estado, o incidente, talvez, não tivesse ocorrido. Em uma das normas do panfleto, a Marinha aconselha o piloto a ligar o motor da embarcação somente quando todos os tripulantes estiveram a bordo. “Nos nossos cursos de navegação, sempre ensinamos essa norma de segurança. Porém, não tem como fiscalizar isso sempre. A gente espera que todos sigam nossos conselhos”, falou.

Alessandro finalizou a entrevista dizendo que todos os jovens envolvidos no incidente devem ir a Marinha depor. “A jovem também será chamada, mas vamos esperar ela se recuperar”, afirmou.

O INCIDENTE

Segundo informações de amigos da vítima, Flávia estava com um grupo de amigos tomando banho no lago. Ao decidirem ir embora, os banhistas começaram a embarcar na lancha por trás. O barco estava com o motor ligado. 

Quando a garota estava subindo por uma pequena escada, ela teria se desequilibrado e caído na água, tendo as duas pernas sugadas pela hélice, que cortou as panturrilhas e dilacerou a perna direita dela. Um dos pés também foi atingido.

Rapidamente, os amigos resgataram a menina e a levaram até a terra firme. Em seguida, ela foi levada ao Hospital Santa Rosa, onde passou por uma cirurgia e segue internada. O estado de saúde dela não foi divulgado.

Diversos amigos da vítima estão deixando mensagens de força para a garota no perfil da rede social Facebook dela, na internet.

VIROU ROTINA

No mês passado, o empresário Thiago Rochemback morreu afogado no Lago do Manso. Ele estava com duas amigas em uma lancha.

A tragédia aconteceu quando uma delas teria se desequilibrado ao tentar subir no barco. Como estava sem colete, uma das amigas pulou na água para ajudá-la. No entanto, diante de um temporal, elas se afastaram da embarcação. 

Com isso, Thiago pulou na água para ajudá-las, mas se afogou. O corpo dele foi localizado quatro dias depois, já em estado de decomposição.

Álbum de fotos

divulgação

divulgação

divulgação

Reprodução Facebook

Comente esta notícia