facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 21 de Junho de 2024
21 de Junho de 2024

13 de Dezembro de 2022, 14h:33 - A | A

GERAL / VEJA O VÍDEO

"Foi como um sequestro; como se a gente fosse bandido", conta família sobre prisão de cacique

De acordo com relato da esposa e do filho do cacique Serere Xavante, ele foi abordado no trajeto entre o Palácio da Alvorada e o Quartel General do Exército.

APARECIDO CARMO
DO REPÓRTER MT



Em vídeo que circula nas redes sociais, a família do cacique Serere Xavante conta como teria sido a abordagem da Polícia Federal no momento da prisão da liderança indígena mato-grossense. Segundo relatos da esposa e filho do cacique, os policiais teriam abordado o carro em que eles estavam, imobilizando o homem no chão e teriam até mesmo apontado armas para todos, inclusive as crianças. A prisão do cacique Xavante foi efetuada nessa segunda-feira (12), por ordem do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Segundo o relato dos familiares, a abordagem teria sido feita quando eles voltavam do Palácio do Alvorada para a porta do Quartel General do Exército. Os agentes estariam em três veículos: um camburão da Polícia Federal e dois Corollas brancos descaracterizados.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

“Já tiraram nós do carro com arma na nossa cabeça. A criança (aponta para menina) de seis anos com arma na cabeça, essa criança (aponta para menino) de onze anos. (...) Todo nós, como se fossemos criminosos e meu marido não reagiu. Eles pegaram ele na força bruta, jogaram ele no camburão da Federal e levaram ele”, conta a mulher. Segundo ela, a Polícia Federal pretendia levar todos eles detidos, mas um grupo de indígenas impediu que isso acontecesse.

“E aí jogaram ele (o cacique) no chão assim (põe as mãos na cabeça) e o motorista, colocaram eles dois no chão. E aí colocaram eu assim (com as mãos para trás) no carro. E a minha irmã e a minha mãe. Aí quando foi colocar no camburão o meu pai, eu fui defender e a polícia fez assim (faz o gesto de arma em punho), com a arma na minha cabeça”, contou o garoto.

Segundo a mulher, não foi mostrado nenhum documento que comprovasse a ordem de prisão. Apesar disso, o cacique não teria esboçado nenhuma reação.

“Foi como se fosse um sequestro, como se a gente fosse bandido. Não mostraram nenhuma ordem de prisão. Eu cheguei na polícia e falei “porque você está fazendo isso com meu marido?”. Ele falou “tem ordem de prisão dele”, mas não foi mostrado nada”, conta. “Ele não reagiu. Falou “eu estou indo preso” e para a gente não se preocupar. Ele não reagiu em nenhum momento”, completa.

Assista ao depoimento da família:

 

 

LEIA MAIS - Preso na PF, Cacique Serere grava vídeo e pede fim de conflitos: "É uma ordem"

Comente esta notícia