Cuiabá, 12 de Agosto de 2022
logo

01 de Julho de 2022, 18h:00 - A | A

GERAL / BBB DE VÁRZEA GRANDE

Artistas defendem reality de influencers: "Foi um investimento em talentos"

Associação Dos Artistas, Compositores, Músicos e Produtores (ACMP) defendeu o reality e afirmou que cursos também foram disponibilizados para o público em geral.

JOÃO AGUIAR
DO REPÓRTER MT



A Associação Dos Artistas, Compositores, Músicos e Produtores (ACMP) emitiu uma nota nesta sexta-feira (1º), defendendo o reality show “Casa Digital MT”, realizado em Várzea Grande. O evento recebeu R$ 450 mil, concedidos pelo deputado Eduardo Botelho (União), por meio de emenda parlamentar, fato que gerou polêmica e está sendo investigado pelo Ministério Público, por suposto desvio de finalidade da proposta inicial.

Na nota, a associação afirma que o objetivo do reality é a “formação e capacitação de influenciadores digitais locais, cuja metodologia aplicada fora a imersão dos mesmos em local específico para essa finalidade, e o resultado dos trabalhos realizados pelos mesmos, fora a divulgação da cultura, turismo e gastronomia mato-grossense em mídia digital”.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

>>> Receba notícias no Telegram e fique bem informado

Além disso, também alegou que não participantes do reality também foram capacitados e treinados, já que “todas as palestras e cursos ministrados, foram divulgados em tempo real” e “encontram-se disponíveis para acesso permanente de todos, envolvendo a participação de profissionais e professores renomados no Brasil”.

Leia mais

Jajah Neves recebe R$ 450 mil de emenda parlamentar para fazer reality com influencers

Botelho pede investigação a BBB de influencers em VG que custa R$ 450 mil

“A ‘Casa Digital’ foi um investimento em talentos que tornarão a cultura mato-grossense conhecida nacional e internacionalmente, gerando um bom retorno financeiro ao Estado de Mato Grosso, em um futuro próximo”, termina a nota.

Polêmica

O programa confinou 10 influenciadores digitais mato-grossenses por oito dias, em Várzea Grande. A atração contou com a apresentação do ex-deputado estadual Jajah Neves e foi alvo de inúmeras críticas.

O presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho, protocolou ofício junto ao Ministério Público de Mato Grosso para que seja investigado possível desvio de finalidade de emenda parlamentar.

Botelho enviou R$ 450 mil em emenda impositiva, via Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel) para o evento, realizado em uma chácara na cidade de Várzea Grande. O deputado explicou que lhe foi passado que o objetivo do projeto era formação de influencers para que eles divulgassem o turismo e gastronomia de Mato Grosso.

Entretanto, a emenda foi usada para bancar o reality, que reuniu nove influenciadores por oito dias, confinados na casa. Além disso, um deles foi ganhador de uma quantia em dinheiro.

Comente esta notícia

Afonsão 01/07/2022

Essa é a lei Rouanet de MT. Vergonhoso!!!!

1 comentários

1 de 1