Cuiabá, 01 de Outubro de 2022
logo

06 de Agosto de 2022, 19h:00 - A | A

ENTREVISTA / ALERTA MÁXIMO

Médico explica como identificar sinais no comportamento suicida; veja o vídeo

O suicídio mata cerca de 12 mil pessoas por ano no Brasil; jovens e idosos têm aumento de casos.

LEANDRO MAIA
DO REPÓRTER MT



O suicídio é a causa da morte silenciosa de cerca de 12 mil brasileiros a cada ano. Esse número representa 6% da população. No mundo, são registrados aproximadamente 800 mil suicídios. O Brasil só fica atrás dos Estados Unidos que lideram o ranking. Em média, 16 mil americanos tiram a própria vida, isso representa cerca de 45 mil mortes por ano. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde, o suicídio é a 4ª maior causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos. (Veja o vídeo abaixo)

De acordo com o médico Lucas Loureiro, que atua na área da psiquiatria, os transtornos mentais como ansiedade, depressão, bipolaridade, ou então, pré-disposição genética, ambiente familiar, doenças graves, uso de drogas e o sofrimento "incontrolável" podem levar ao ataque contra a própria vida, no entanto, é muito difícil apontar uma causa específica para a tomada de decisão.

“É uma soma de fatores. O que posso dizer que o sofrimento dessa pessoa era intenso, quando decide tirar a própria vida. O suicídio, muitas das vezes, é a fase final de uma doença psiquiátrica. As doenças psiquiátricas são crônicas em sua maioria. Assim como o câncer, que leva anos para causar a morte de uma pessoa, a depressão não leva a pessoa a cometer o suicídio do dia pra noite. Pode acontecer", pontua. 

O médico também explica que é muito improvável conseguir identificar o comportamento suicida, porém, distúrbios como a hiperatividade e a impulsividade são sinais mais fáceis de serem notados. 

Além disso, outro grupo, que chama a atenção, é o de idosos. “Diferente dos jovens, os idosos, por razões de invalidez e abandono familiar, os idosos planejam tirar a própria vida”.

 Veja a entrevista:

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Comente esta notícia

Izy 07/08/2022

Muito pertinente é corriqueiro o tema!! Numa linguagem onde todos pode entender, já contribui para como prevenção !!!! Agora precisa falar de outros temas !!!

1 comentários

1 de 1