facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 15 de Julho de 2024
15 de Julho de 2024

15 de Junho de 2024, 17h:25 - A | A

ENTREVISTA / CURAR TRAUMAS

Adultos que sofreram violência na infância são mais propensos a se envolverem em relacionamentos abusivos

Presenciar situações de agressividade na fase infantil faz com que crianças cresçam sem saber identificar casos de violência, tornando os abusos normais

KARINE ARRUDA
DO REPÓRTER MT



“Se é abusivo, agressivo e doentio porque não termina? Porque continuar num relacionamento como esse?” Essas são perguntas que você já deve ter feito ou pensado em fazer quando ouviu alguém reclamar sobre o próprio namoro ou casamento e é claro que muita coisa passa na cabeça de quem está vendo de fora a relação e não compreende o que ainda mantém duas pessoas juntas diante de tantas circunstâncias ruins.

É nesse ponto, por exemplo, que entram questões como finanças, convívio, carência, dependência, religião e até mesmo as sombras do passado. Muitas pessoas que estão em um relacionamento abusivo hoje, ou não sabem como se livrar dessa situação ou conviveram com a violência na infância e nunca conseguiram identificar que esses casos se tratavam de um abuso.

A naturalização desse processo na fase infantil faz com que muitas crianças cresçam sem ter uma referência do que é uma violência ou uma agressão, por esse motivo, quando adultas, correm maiores riscos de se envolverem em relacionamentos abusivos. Isso é o que explica o psicólogo e terapeuta Lieber Faiad em entrevista ao RepórterMT.

Confira:

Assista ao conteúdo na íntegra:

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Comente esta notícia