Cuiabá, 03 de Fevereiro de 2023
logo

13 de Dezembro de 2014, 12h:00 - A | A

POLÍTICA / JANETE RIVA NO TCE

Romoaldo defende indicação e diz que Taques não conhece currículo

Os deputados confirmaram por 15 votos a cinco o nome de Janete Riva ao cargo de conselheira do Tribunal de Contas do Estado (TCE). A sabatina de Janete Riva deve ser feita na próxima terça-feira (16), durante a sessão vespertina.

ABDALLA ZAROUR
DA REDAÇÃO



O vice-presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), deputado estadual Romoaldo Júnior (PMDB), disse que o governador eleito Pedro Taques (PDT) não tem conhecimento sobre o currículo da ex-candidata ao governo do estado em 2014, Janete Riva (PSD).

A declaração foi feita após a reunião do Colégio de Líderes na ALMT, nesta sexta-feira (12). Os deputados confirmaram por 15 votos a cinco o nome de Janete Riva ao cargo de conselheira do Tribunal de Contas do Estado (TCE). A sabatina de Janete Riva deve ser feita na próxima terça-feira (16), durante a sessão vespertina.

Romoaldo rebateu as críticas feitas por Taques, em coletiva de imprensa na tarde da úlima quinta-feira (11), quando o novo governador apresentava a composição do seu staff, de que a indicação de Janete pelo Poder Legislativo Estadual ao Tribunal de Contas do Estado, na vaga de Humberto Bosaipo, que renunciou ao cargo esta semana, seria absurda.

Romoaldo defendeu a mulher do deputado estadual José Riva (PSD). O parlamentar disse que Janete tem todos os predicativos para assumir a cadeira de conselheira do TCE.

Romoaldo apontou que Janete tem curso superior, tem mais de 10 anos no serviço público e desempenhou bem o papel de presidente da Sala da Mulher da Assembleia Legislativa. “Eu acho que o governador eleito (Pedro Taques) tem o direito de se expressar, mas também eu acho que ele tem que ter o conhecimento do currículo dela. E eu tenho certeza que ela naquele Tribunal (TCE) vai fazer um grande trabalho.”, comentou. 

Romoaldo também aproveitou para criticar a postura tanto de Taques, quanto de Riva. “ Eu acho que a eleição passou, né? Eu acho que os dois lados têm que pensar no estado e descer do palanque”, disse.

Taques destacou que Janete Riva não preenche os requisitos constitucionais - entre eles ser pessoa ilibada e com aptidão técnica fiscal - para ocupar o cargo vago com a renúncia do conselheiro Humberto Bosaipo, há três anos afastado por conta de pendências jurídicas, entre elas desvio de dinheiro público.

“Ninguém perguntou, mas eu vou dizer. É um absurdo a Assembleia Legislativa indicar a Janete Riva para o TCE. Eu, como governador eleito com quase 60% dos votos, tenho legitimidade para dizer que Mato Grosso vive um importante momento de transformação e a sociedade mato-grossense quer mudança”, comentou Taques.

Segundo ele, não se trata de uma questão pessoal contra ninguém e nem as instituições, mas elas também precisam mudar. “Respeito o TCE, a Assembleia Legislativa e o governador Silval Barbosa. Mas Mato Grosso merece respeito”.

Sobre possíveis represálias políticas, o governador eleito assegurou que, ao fazer esse pronunciamento público, assume os riscos.

Comente esta notícia

Dornele$ 13/12/2014

O maravilhoso currículo dela, é ser esposa do Riva, só isso. Vivemos nos tempos das capitanias hereditárias e pronto!

Alessandro 13/12/2014

Alguém pode me dizer que curso superior ela tem, qual a faculdade e em que ano foi?

2 comentários

1 de 1