Cuiabá, 29 de Janeiro de 2023
logo

12 de Novembro de 2014, 18h:00 - A | A

POLÍTICA / SUPOSTA SONEGAÇÃO

Riva entrega documentos e Alexandre César assume presidência da CPI contra Eraí Maggi

A instalação da CPI foi oficializada, na tarde desta quarta-feira (12), com a realização da primeira reunião de trabalho do grupo. Riva, autor do requerimento da CPI, disse que não assumiria nenhum dos postos por ter retornado a exercer a presidência.

MARCIA MATOS
DA REDAÇÃO



Conforme o previsto, diante das declarações do deputado José Riva (PSD), o deputado Alexandre César (PT) foi escolhido como presidente da Comissão de Inquérito Parlamentar (CPI) que irá investigar a suposta sonegação fiscal do maior produtor de soja do mundo, Eraí Maggi (PP), a partir das transações da Cooperativa Agroindustrial de Mato Grosso (Cooamat).

A instalação da CPI foi oficializada na tarde desta quarta-feira (12), com a realização da primeira reunião de trabalho do grupo que definiu como relator do caso o deputado Emanuel Pinheiro (PR).

No encontro, o deputado Riva, autor do requerimento da CPI, disse que não assumiria nenhum dos postos por ter retornado a exercer a presidência da Assembleia Legislativa.

Na ocasião, Riva entregou ao grupo os documentos que apontariam a suposta fraude de Eraí Maggi.

Divulgação

alexandre césar.jpg

Ao lado de Riva, Alexandre César é escolhido para ser o presidente da CPI contra Eraí Maggi; Comissão terá 40 dias para concluir investigação sobre fraude financeira

Programada para durar 40 dias, as reuniões da CPI serão realizadas todas as terças e quintas-feiras, às 15h. A primeira já está agendada para o próximo dia 18, onde será estabelecido o cronograma, definição dos primeiros convocados e apresentação de requerimentos para busca de informações.

A expectativa é de que o principal investigado seja convocado para prestar depoimento.

“O Eraí Maggi pode ser convocado, assim como servidores da Sefaz, outros integrantes da cooperativa e outros que tenham informações que sejam importantes para as investigações", declarou o presidente da CPI.

Reprodução

Erai Maggi

Maior produtor de Soja do Mundo, Eraí pode ser convocado a dar esclarecimentos sobre a Cooamat

A suspeita é que a cooperativa é usada para operações fraudulentas que chegariam à R$ 500 milhões. De acordo com Riva, as denúncias são graves, e constam mais de 200 procedimentos e infrações na Secretaria de Fazenda (Sefaz). Riva já protocolou a denúncia na Delegacia Especializada em Crimes Fazendários (Defaz).

Fazem parte da Comissão os deputados estaduais José Riva (PSD), Jota Barreto (PR), Emanuel Pinheiro (PR), Alexandre César (PT) e Dilmar Dal Bosco (DEM).

Comente esta notícia