Cuiabá, 03 de Fevereiro de 2023
logo

05 de Novembro de 2014, 16h:42 - A | A

POLÍTICA / SUPOSTA SONEGAÇÃO

Riva anuncia membros da CPI que irá investigar Eraí Maggi; instalação deve ser nesta quinta

Nos bastidores os comentários são de que os preferidos para responderem como presidente e relator da CPI seriam os deputados Alexandre César (PT) e Jota Barreto (PR), que deixam a Assembleia Legislativa ao fim deste mandato.

MARCIA MATOS
DA REDAÇÃO



O presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual José Riva (PSD), após anunciar, durante a sessão desta quarta-feira (05), os nomes dos membros titulares e suplentes da Comissão de Inquérito Parlamentar (CPI), que irá investigar um suposto esquema de sonegação fiscal da Cooperativa Agrícola Mato Grosso (Cooamat), que seria comandado pelo maior produtor de soja do mundo, Eraí Maggi (PP), desconsiderou a possibilidade de presidir os trabalhos da mesma.

 

A preocupação do deputado agora, segundo ele, é “correr” para finalizar as investigações nesta legislatura.

“Não adianta a gente  vender ilusão. Se tudo andar conforme a gente pens, há tempo.  Se essa semana nós instalarmos a CPI com presidente e relator e ela começar a funcionar,  40 dias são suficientes para finalização do relatório. Logicamente tudo tem que andar  dentro desse calendário, já desse cronograma”, declarou.

Nos bastidores, os comentários são de que os preferidos para responderem como presidente e relator da CPI seriam os deputados Alexandre César (PT) e Jota Barreto (PR), que deixam a Assembleia Legislativa ao fim deste mandato.

Além de Riva, foram definidos como membros titulares da CPI os deputados Alexandre César (PT), Dilmar Dal'Bosco (DEM), Emanuel Pinheiro (PR),  e Hermínio Jota Barreto (PR).

Como suplentes ficaram os deputados Mauro Savi (PR), João Malheiros (PR), Walter Rabello (PSD), Teté Bezerra (PMDB) e Guilherme Maluf (PSDB).

Aos jornalistas, o deputado evitou falar sobre quais seriam as provas que apontariam a suposta sonegação que teria lesado o Tesouro do Estado em cerca de R$ 300 milhões. Segundo Riva, neste momento, a melhor estratégia é não comentar.

“Eu tomei uma  decisão de a partir do momento da instalação da CPI, a gente ter muita  cautela nisso. Então não adianta a gente ficar aqui  anunciando. Eu acho que nós temos que fazer um trabalho e divulgar o trabalho”, disse.

Riva, porém, não descartou a necessidade de convocar Eraí Maggi para prestar depoimento à CPI.  

“Com certeza, no decorrer da CPI, se necessário, será convocado. Eu vejo a necessidade de convocar algumas  pessoas que vão contribuir com a CPI”, frisou.

Comente esta notícia

[email protected] 06/11/2014

um camarada desse naipi tem moral de investigar alguem, sera que ele nao pro rabo.

1 comentários

1 de 1