facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 22 de Maio de 2024
22 de Maio de 2024

13 de Setembro de 2010, 17h:56 - A | A

POLÍTICA /

Polícia prende seis acusados de matar coordenador de campanga de Maluf



Da Redação - Lucas Bólico

Seis acusados de matar o empresário e coordenador da campanha do deputado Guilherme Maluf (PSDB), Ricardo Elias Nehme, 48, foram presos nesta madrugada pela Polícia Militar em Poconé. Chrystian dos Santos Pereira, 22, Willian Leite Carvalho, 20, Wesley Afonso Silva, 23, Oderverson Cesário de Moraes, 20, Mauricio Marques Tropaldi, 26 e Ronildo Moreira Ramos, 37 anos, foram detidos.

Junto com os acusados foram apreendidos dois revolveres calibre 38, munições, um carro Gol branco, um Fiat Uno vermelho e um taxi Siena branco. De acordo com informações da polícia, pode haver um sétimo envolvido, quem ainda não foi preso. A suspeita, segundo fontes do Olhar Direto, é de que o ex-dirigente tucano teria sido morto por conta de supostas dívidas com factorings.

Na versão oficial divulgada até o momento, o empresário foi morto durante uma tentativa de assalto por volta das 19h. Os homens vasculharam a sua residência, mas encontraram nada e, em seguida, deram dois tiros na nuca de Ricardo Elias.

De acordo com informações da assessoria de imprensa da PJV, os bandidos fugiram no Fiat Uno vermelho, encontrado em uma casa alugada no bairro São Bento, onde também foram localizadas as duas armas. Segundo os bandidos, a casa foi locada por um individuo de estatura mediada, de cor parda teria passado informações da vitima.

Logo que soube do incidente, segundo a assessoria, Maluf entrou em contato com o secretário de Justiça e Segurança Pública do Estado, Diógenes Curado, pedindo reforço na prisão dos criminosos e celeridade nas investigações.

O parlamentar informou ainda que o seu coordenador não possuía dinheiro guardado, já que o montante havia sido repassado há duas semanas e pago à equipe de campanha.

Maluf também lamentou o ocorrido, pois, além de integrar a sua equipe de campanha, era amigo de Ricardo Elias, que é ex-presidente do PSDB em Poconé. Porém, recentemente pediu desfiliação da sigla tucana para apoiar a reeleição do governador Silval Barbosa (PMDB).

Comente esta notícia