facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 27 de Maio de 2024
27 de Maio de 2024

26 de Dezembro de 2010, 19h:19 - A | A

POLÍTICA /

MT incinera quase 3 toneladas de drogas em 2 anos



DA REDAÇÃO

Em dois anos, foram destruídos 2.850 quilos de drogas apreendidas em ações das polícias Civil e Militar do Estado.
A Justiça autorizou a queima de 1.311 quilos de drogas, realizadas em duas etapas, junho e dezembro de 2010. Um total de 1.013 quilos foram destruídos no interior do Estado, crescimento de 11% em relação ao ano de 2009, que queimou 823,9 quilos. As apreensões ocorreram durante operações policiais das delegacias das doze Regionais da Polícia Civil e ações da Polícia Militar de Mato Grosso.

Na Capital foram incinerados 300 quilos este ano e 716 em 2009. O entorpecente, em sua maioria, foi apreendido durante investigações da Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE) de Cuiabá. A substância mais queimada foi à pasta-base seguida da maconha.

Na contabilidade da DRE não entraram 815 quilos de maconha apreendidos no Estado de Mato Grosso do Sul, durante as investigações da operação “Guarânia”, deflagrada em julho deste ano, que levou à prisão uma quadrilha de onze pessoas que atuava no tráfico de maconha vinda do Paraguai. A droga que tinha como destino a Grande Cuiabá foi queimada naquele Estado.

Para a delegada titular da DRE, Cleibe Aparecida de Paula, as ferramentas de inteligências e a reativação da Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes contribuíram para o aumento de apreensões de drogas, muitas em grandes volumes, por parte da Polícia Civil.

Uma das grandes apreensões incineradas neste ano ocorreu na região de Alto Araguaia (415 km ao Sul), no início do mês de outubro, quando 268 quilos de pasta-base foram encontrados dentro de um caminhão parado no posto fiscal da Secretaria de Fazenda (Sefaz), na BR 364, município de Alto Araguaia. A droga estava camuflada no meio de uma carga de farelo transportada em uma carreta bitrem, que seguia para o Estado de Minas Gerais. Os tabletes de cerca de 1 quilo cada levavam a marca de um cavalo.

A incineração de drogas é importante para que os entorpecentes não fiquem armazenados dentro das delegacias e assim deixem de oferecer riscos de segurança e à saúde dos servidores devido ao cheiro forte exalado.

O delegado geral, Paulo Rubens Vilela, destaca como pontos altos das apreensões, investigações que interceptaram carregamentos de drogas, as ações do Plano de Ações de Segurança (PAS), da Secretária de Estado de Segurança Pública, que determinou operações conjuntas de fechamento de pontos de venda e produção de drogas, além dos investimentos na fronteira para fortalecimento do combate ao tráfico de drogas.

Comente esta notícia