Cuiabá, 27 de Novembro de 2022
logo

31 de Dezembro de 2016, 08h:45 - A | A

POLÍTICA / PARQUE DAS ÁGUAS

Em inauguração, Mendes critica deputados que prometeram e não cumpriram repasse à obra

Na inauguração do Parque das Águas, prefeito denunciou falta de compromisso e disse que deputados não repassaram R$ 3 milhões porque não quiseram

FRANCISCO BORGES
DA REDAÇÃO



Em um de seus últimos discursos como prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB) não poupou críticas aos deputados estaduais que prometeram R$ 3 milhões para a implantação do Parque das Águas, mas que no final não liberaram o recurso.

“Estamos aqui bem ao lado da Assembleia Legislativa, onde os deputados fizeram reuniões e prometeram o montante, mas não deram nenhum centavo. Não se pode mentir para ninguém”, criticou o prefeito.

“Estamos aqui bem ao lado da Assembleia Legislativa, onde os deputados fizeram reuniões e prometeram o montante, mas não deram nenhum centavo. Não se pode mentir para ninguém”, criticou o prefeito na inauguração do complexo, na noite desta sexta-feira (30).

“O interessante é que eles [deputados] prometeram, fizeram inúmeros encontros e reuniões garantindo que o recurso sairia, mas não deram nada”, comentou durante a solenidade, que não contou com a participação de nenhum parlamentar.

"Aquilo ali foi um dinheiro que a Assembleia prometeu, de última hora não deu e nós tivemos que correr para ‘raspar o tacho’ para pagar, pois quem trabalhou merece receber”, destacou Mendes sobre a revitalização da Orla do Porto.

Mendes aproveitou para disparar contra o Governo Federal, por meio do Ministério do Turismo, que segundo ele, não só prometeu o recurso total para a execução do serviço, mas assinou um contrato com Cuiabá no sentido de garantir a destinação do repasse para a realização da obra. Ao total, o Parque das Águas consumiu o valor de R$ 14 milhões para ser concretizado.  

“Aprovamos um projeto na Caixa Econômica Federal, fizemos a licitação, contratamos a empresa, demos a ordem de serviço, a empreiteira começou a obra, fez a primeira medição e nada do dinheiro para pagar. A empresa trabalhou mais um mês fez novamente serviço e novamente a medição, mandou para a Caixa e nada de Brasília liberar o dinheiro. Fez isso no terceiro mês e foi a mesma coisa”, argumentou Mendes, que lamentou ir à Brasília, ser recebido com “cafezinho” pelo ministro, mas que nada adiantou.

De acordo com o prefeito, não restou alternativa a não ser a rescisão do contrato com a Caixa e Governo Federal para poder tocar o Parque com recursos próprios. 

Orla do Porto

Mendes, ao final de seu pronunciamento, ainda voltou a criticar a Assembleia pela promessa de destinação de R$ 1,5 milhão para a realização da Orla do Porto, que segundo ele, também não foi repassado.

“Eles tinham dinheiro em caixa para fazer o repasse e honrar o compromisso. Não fizeram porque não quiseram”, acrescentou.

“As pessoas têm que aprender que na política a pessoa precisa ser verdadeiro. Não mentir para ninguém. Não mentir para as pessoas e nem para os representantes das pessoas. Quem já passou pela Orla pode ver o que fizemos, mas ela quase que não fica pronta. Aquilo ali foi um dinheiro que a Assembleia prometeu, de última hora não deu e nós tivemos que correr para ‘raspar o tacho’ para pagar, pois quem trabalhou merece receber”, destacou. 

Álbum de fotos

Assessoria

Internauta

RepórterMT

RepórterMT

RepórterMT

RepórterMT

RepórterMT

RepórterMT

RepórterMT

Assessoria

Comente esta notícia

Paulo 31/12/2016

Na verdade a obra da Orla ainda precisa ser finalizada. Na pressa da inauguração restaram muito piso solto ou já quebrando. estive lá hoje e se o próximo prefeito não designar uma equipe fixa de manutencao por lá , não dura 1 mês.

Ricardo adrien 31/12/2016

BOTELHO que não quis mandar o dinheiro, seu companheiro de partido, deve ser retaliação, pois ficou em cima murro na eleição.

2 comentários

1 de 1