Cuiabá, 29 de Janeiro de 2023
logo

30 de Dezembro de 2014, 13h:52 - A | A

POLÍTICA / VARREDURA NO GOVERNO

Controladoria vai passar o “pente fino” em contratos feitos pela Secopa e por Silval

Maioria dos contratos firmados durante o mandato de Silval foram auditados e todos apresentaram problemas.

ANA ADÉLIA JÁCOMO
DA REDAÇÃO



Nomeado como o novo controlador-geral do Estado, Ciro Rodolfo Gonçalves irá apresentar em 10 de janeiro uma avaliação de controle de todas as secretarias do staff do governador eleito Pedro Taques (PDT), incluindo a própria controladoria.

O balancete tem o objetivo de nortear os próximos secretários na programação e capacitação dos gestores que vão atuar em cada uma das 17 pastas, e também de identificar irregularidades, as providências e repercussões que serão dadas.

Ele afirmou durante coletiva de imprensa nesta segunda-feira (29), que a maioria dos contratos firmados durante o mandato do governador Silval Barbosa (PMDB) já foram auditados e todos apresentaram problemas.

A Secretaria Extraordinária da Copa (Secopa), que será extinta nesta quarta-feira (31), é uma das que apresentam contratos suspeitos. De acordo com Ciro, grande parte dos relatórios estão constituídos, mas todos devem passar por uma reanálise da nova equipe.

“Haverá auditoria da controladoria, mas grande parte dos contratos já foram auditados e sinalizados os problemas, isso inclui os contratos da Secopa. Grande parte desses relatórios serão constituídos e o que precisamos é da segunda etapa, que é a percepção das responsabilizações”.

“A Auditoria-Geral do Estado já tem um acervo de apontamentos e relatórios, inclusive parte deles já é de conhecimento da imprensa e do Ministério Público Estadual. Faremos auditorias nesses e em outros contratos, mas já temos um acervo significativo”, declarou ele.

Método de auditagem

O novo controlador é especialista em auditoria governamental e contabilidade pública, e de acordo com ele, os contratos passarão por uma seleção e por uma análise de risco, avaliando a natureza dos objetos, a materialidade e o risco que cada secretaria assumiu nas contratações.

A auditagem deve ser parcialmente concluída no final dos 100 dias de mandato de Taques. As equipes irão se dividir por temas, por exemplo: haverão especialistas em construção civil, serviços e prestação.

“A confluência desses contratos é que vai dizer se estão no nível. A auditoria é apenas um dos trabalhos da Controladoria, essa é uma preocupação, mas a outra é o da prevenção. Os demais trabalhos vão fluir normalmente durante o mandato”, avaliou ele.

Ciro é natural de Barão de Melgaço e já exerceu a atividade de superintendente tanto na Corregedoria quanto na Auditoria do Governo Estadual.

Comente esta notícia