facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 17 de Maio de 2024
17 de Maio de 2024

07 de Julho de 2010, 10h:45 - A | A

POLÍCIA /

Polícia Militar retira famílias que invadiram área em frente AL-MT

Gazeta



Caroline Lanhi
Da Redação

Famílias que estavam há 2 meses em uma área "nobre", em frente à Assembleia Legislativa de Mato Grosso, foram retiradas após uma liminar concedida pela Justiça aos sócios-proprietários do terreno. A Polícia Militar fez a desocupação.

Os moradores garantem que viviam no grilo aproximadamente 140 famílias, mas segundo o tenente Rafael Dias, no momento em que a Polícia chegou apenas 2 famílias estavam em seus barracos. A desocupação ocorreu de forma pacífica.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

O líder da comunidade, Flávio Munhoz, afirma que um suposto empregado dos proprietários estava negociando o espaço de forma irregular. Além disso, os participantes alegam que há 40 anos os impostos da área, de aproximadamente 16 hectares, não são pagos. "Como não temos casa própria, decidimos ocupar essa região e lutar por um pedaço de terra".

Munique Evans Nascimento, 24, é uma das ocupantes. Com o marido e 2 filhos pequenos ela abandonou a casa que alugava depois de saber que havia uma área para morar. "Não tínhamos condição de pagar o aluguel, então compramos o material para os barracos e viemos para cá".

Os proprietários, que se identificam apenas como sendo da família Brunini, estavam no local no momento em que a Polícia chegou. Para eles, os ocupantes fazem parte de uma "quadrilha de grileiros" que compram e vendem terrenos de maneira ilegal e estimulam a ocupação de áreas particulares para depois conseguirem judicialmente a posse da área por usucapião.


Comente esta notícia