facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 25 de Maio de 2024
25 de Maio de 2024

11 de Setembro de 2010, 13h:46 - A | A

POLÍCIA /

PF prende quadrilha que roubava aviões no estado



DA REDAÇÃO

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

A Polícia Federal prendeu, nesta sexta-feira (10), quatro acusados de participar do roubo da aeronave Sêneca II, prefixo PT-EZC, de propriedade da empresa Abelha Taxi Aéreo, de Cuiabá, ocorrido no dia 2 de julho, durante vôo entre Rondonópolis e Cáceres.

Dois integrantes do grupo, cujos nomes não foram revelados, foram presos na Bolívia, onde tentavam vender a aeronave roubada. Um deles morava em Pontes e Lacerda (448 km a Oeste da Caputal). Outros dois já estavam detidos no presídio do Pascoal Ramos, em Cuiabá.

De acordo com a PF, um dos bandidos arquitetou o roubo e participou de sua execução, fazendo-se passar por cliente interessado no frete da aeronave; o outro foi responsável por arregimentar os demais integrantes da ação criminosa.

Após o período de coleta de provas, representou-se pela expedição de mandados de busca e apreensão e prisão preventiva em desfavor de quatro criminosos identificados, medidas estas deferidas pela Justiça Federal de Cuiabá.

Na data de instauração da investigação foi encontrado, na Bolívia, o piloto Clymer de Souza Portela, 63, em San José de Chiquitos. Ele pilotava a aeronave. Na ocasião, ele contou como foi o roubo do avião por parte do passageiro, que levava a bordo. O criminoso utilizou de grave ameaça, com uso de arma de fogo, segundo a PF.

A Polícia informou que, ainda na primeira semana de investigação, já identificaarm o executor do roubo, ao constatar que ele se hospedou em um hotel em Rondonópolis, inclusive, sendo reconhecido por diversas testemunhas. A Justiça autorizou a interceptação telefônica e o afastamento de sigilo bancário.

Também foi possível a prisão, em flagrante, por tráfico de drogas, de dois outros criminosos relacionados ao grupo, em Minas Gerais. Ainda foram constatados indícios da prática de outros delitos pelo mesmo grupo criminoso, fatos que serão esclarecidos com a conclusão das investigações pela Polícia Federal.

Comente esta notícia