Cuiabá, 29 de Novembro de 2022
logo

06 de Dezembro de 2016, 16h:40 - A | A

POLÍCIA / "GOLPE DA ARARA"

Estelionatários causaram prejuízos de R$ 2 milhões em venda de maquinários

A ação integrada entre policiais de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso prendeu, 11 pessoas, nesta terça-feira (6).

DA REDAÇÃO



Onze pessoas integrantes de uma organização criminosa foram presas nesta terça-feira (6), na Operação Canindé, deflagrada pela Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado (Deco), da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul, para cumprimento de mandados de prisão preventiva nas cidades mato-grossenses de Rondonópolis (212 km ao Sul), Cuiabá e em Campo Grande (MS).

“Usavam o galpão para dizer que eram uma firma conceituada. Eles residiam em Rondonópolis e viajavam para outros estados comprando os maquinários”, disse a delegada.

A operação conta com apoio da Delegacia Regional de Rondonópolis, que empregou 30 policiais civis para ação deflagrada contra membros de uma quadrilha especializada em crimes de estelionatos aplicados na modalidade conhecida como “Golpe da Arara” - empresa fictícia para aplicar os golpes.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Segundo a investigação, a quadrilha é responsável pelo prejuízo de mais de R$ 2 milhões, na compra de equipamentos agrícolas de 12 vítimas catalogadas no inquérito policial.

Oito integrantes do grupo criminoso foram presos em Mato Grosso, sendo sete em Rondonópolis, um em Cuiabá e três em Campo Grande. Em Rondonópolis, os policiais também cumpriram quatro mandados de buscas e apreensão em uma residência, uma transportadora, um supermercado e em uma fazenda.

Nos locais foram apreendidos maquinários agrícolas, veículos e até um gerador de energia adquiridos pela prática criminosa.

De acordo com a delegada titular da Deco, Ana Cláudia Medina, os investigados usando documentos falsos, constituíram uma empresa de fachada, denominada Soares Rocha Construções Ltda, destinada a compra dos maquinários agrícolas.

A empresa está sediada em um galpão no bairro Itamaracá, na cidade de Campo Grande. “Usavam o galpão para dizer que eram uma firma conceituada. Eles residiam em Rondonópolis e viajavam para outros estados comprando os maquinários”, disse a delegada.

Conforme Medina, os produtos comprados de forma fraudulenta e os integrantes da organização estavam, em boa parte, no estado de Mato Grosso, principalmente em Rondonópolis.

A operação também cumpriu três mandados de prisão preventiva em Campo Grande, com apoio da Delegacia de Roubos e Furtos (DERF) e ainda três ordens de buscas em residências. Um dos presos em Campo Grande foi flagrado na prática de crime de furto de energia e autuado.

Os presos em Mato Grosso serão recambiados pela equipe da Deco para Campo Grande (MS), onde serão interrogados e indiciados pelos crimes cometidos.

Álbum de fotos

Comente esta notícia