Cuiabá, 16 de Agosto de 2022
logo

13 de Dezembro de 2017, 16h:35 - A | A

PODERES / DELAÇÃO "BOMBA"

'Não terá nenhuma carga sobre o ombro de quem não deve', diz Riva sobre confissão

Apesar da declaração, o político – que comandou a Assembleia por quase 20 anos - não adiantou se fechou, nem se está negociando, um acordo de colaboração premiada.

RAFAEL DE SOUSA
DA REDAÇÃO



O ex-presidente da Assembleia Legislativa, José Geraldo Riva (sem partido), alvo de mais uma fase da Operação Ararath na manhã desta quarta-feira (13), disse que caso feche mesmo um acordo de delação premiada com o Ministério Público não fará acusações injustas a ninguém.

A declaração ocorreu logo após o ex-deputado prestar depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Ministério Público Estadual, na sede do Legislativo estadual, sobre o escândalo das Cartas de Crédito.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

“Vi muitas colaborações e, se uma hora ela ocorrer, não terá trauma e nenhuma carga sobre o ombro de quem não deve. Neste momento me sinto confortável no rumo que eu escolhi”, declarou Riva.

Porém, o político – que comandou a Assembleia por quase 20 anos - não confirmou se fechou ou está negociando um acordo de colaboração premiada.

“Eu tenho colaborado com a Justiça quando comecei as confissões. E essas confissões são públicas, vocês assistiram aos depoimentos. Tenho procurado contribuir para atenuar minha pena em relação aos processos em casos pontuais”, argumentou José Riva.

Portanto, nos bastidores, a informação é de que Riva negocia - há meses - um acordo de delação premiada com a Procuradoria-Geral da República (PGR).

Entre os denunciados pelos políticos estariam agentes do Judiciário, além de promotores e procuradores do próprio Ministério Público, bem como dezenas de políticos no âmbito federal, estadual e municipal.

Comente esta notícia

benedito costa 14/12/2017

Como é bom sentir o gosto da cadeira que um dia recebeu muita grana sentado nela.

1 comentários

1 de 1