facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 21 de Junho de 2024
21 de Junho de 2024

30 de Dezembro de 2022, 16h:27 - A | A

PODERES / "INCOERENTE"

Júlio critica União Brasil por deixar base de Lula; “Ganha 3 ministérios e quer ficar fora?"

Apesar da sinalização negativa, a expectativa é que a maioria dos parlamentares vote a favor das pautas do governo

DAFFINY DELGADO
DO REPÓRTER MT



O deputado estadual eleito Júlio Campos, cacique do antigo Democratas, hoje União Brasil, criticou a decisão do partido de ficar fora da base do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Para ele, "foi uma decisão pessoal de um grupo isolado de deputados e senadores".

“No União, tem um diretório nacional, mas que nunca conversou com nenhum dos seus membros, dos seus parlamentares, em termos de ouvi-los se quer ou não participar da base. Essa decisão foi uma decisão pessoal, de um grupo de deputados e senadores, que tem tendências governistas e que querem assumir posições no governo Lula”, declarou.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

O anúncio de que não vai compor a base petista no Congresso foi feito na tarde dessa quinta-feira (29), pouco antes de Lula anunciar seus últimos ministros. Segundo Elmar Nascimento, líder do União, o partido vai votar a favor de pautas de interesse do Brasil, mas contra aquelas que forem de interesse do governo e do PT.

Apesar da sinalização negativa, Júlio Campos acredita que a maioria da bancada do União no Congresso Nacional deverá votar a favor das pautas petistas.

Para ele, não faz sentido o União Brasil ficar fora da base, se três filiados comandarão ministérios no governo petista: Integração e Desenvolvimento Regional: Waldez Góes, atual governador do Amapá (PDT - federação com União); Turismo: Daniela do Waguinho (União-RJ), deputada federal reeleita; e Comunicações: Juscelino Filho (União-MA), deputado federal.

"Foram indicados três ministros pelo partido. Eu não entendo como que um partido que assume três ministérios no governo do PT, do presidente Lula, não vai fazer parte da base política", disse.

"Eu acredito que pelo menos a maioria absoluta estarão votando no Congresso Nacional com o presidente, com o governo Lula. Caso contrário não tem sentido o partido aceitar participar do governo como titular de ministérios, alguns até de certa importância na administração pública federal", emendou.

Leia mais

União Brasil decide não fazer parte da base de Lula

Comente esta notícia