facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 19 de Junho de 2024
19 de Junho de 2024

24 de Maio de 2024, 15h:16 - A | A

OPINIÃO / LICIO ANTONIO MALHEIROS

Cuiabá, cidade sui generis

LICIO ANTONIO MALHEIROS



Enquanto, o estado de Mato Grosso está apresentando um crescimento econômico significativo, nos colocando na liderança do ranking na região Centro-Oeste e alcançamos o segundo maior crescimento econômico do país. O nosso crescimento foi três vezes maior do que o nacional.

Outro fator determinante para o crescimento econômico de um país, o PIB (Produto Interno Bruto).

Nesse quesito, o estado de Mato Grosso fechou o ano com um aumento de 10,6%, enquanto o desempenho do país foi de apenas 2,9%; ficamos apenas atrás do estado do Tocantins, que registrou uma elevação de 11,1% no PIB.

Esse resultado fenomenal alcançado, é fruto do trabalho hercúleo, desenvolvido pelo governador do estado de Mato Grosso, Mauro Mendes e das equipes multidisciplinares que atuam em consonância com os setores produtivos do estado, tendo como carro chefe, a Agropecuária.

Infelizmente, nem tudo são flores; a capital Cuiabá que deveria ser o termômetro desse crescimento econômico e social.

Paradoxalmente em relação aos demais municípios do estado de Mato Grosso, Cuiabá, está na contramão da história, em função do retrocesso administrativo, oriundo da administração municipal, do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB).

Não se trata de caça às bruxas, e sim, de uma dura e triste constatação de inoperância administrativa, fruto da atabalhoada e desastrosa gestão do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB).

O mesmo, acumula tristes recordes de operações policiais sob suspeita de esquemas de corrupção.

Contabilizando em todo período de mandato, 17 operações policiais, sendo a maioria na Secretaria Municipal de Saúde, não é à toa que, a Saúde Pública em Cuiabá está em frangalhos, esse desarranjo administrativo, acabou levando à prisão de vários secretários, enquanto outros foram afastados. A secretaria de Saúde da capital, se tornou, o ‘calcanhar de Aquiles’ dessa administração.

Outra questão nevrálgica que assola a capital Cuiabá são os buracos; aí sim, o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) literalmente se destaca nessa modalidade.

Dificilmente iremos encontrar uma capital do país que tenha tantos buracos quanto à capital Cuiabá. Na modalidade buracos, Emanuel Pinheiro (MDB) é oconcur, nossa cidade, mas parece um queijo suíço.

Se vocês acreditavam ter parado por aí a má administração municipal de Cuiabá, não se iludam, o caldo irá entornar de vez.

Explico, não se trata de ilusionismo ou coisa que o valha, pois nem o mágico “David Copperfield”, conseguiria fazer tamanha proeza; desaparecer uma Balsa Ecológica inaugurada em 2019, na gestão Emanuel Pinheiro (MDB).

O equipamento, possui 7,20 metros de comprimento, 3 metros de largura com 1.100 metros de altura, com tela de uma polegada, piso de aço e por aí vai.

O serviço de coleta fluvial de lixo recolheria do Rio Cuiabá uma média de 120 toneladas de resíduos, por ano.

Essa atividade é coordenada pela Empresa Cuiabana de Zeladoria e Serviços Urbanos (Limpurb), e faz parte dos serviços exigidos à Locar Gestão de Resíduos.

Pelo tempo de desaparecimento da embarcação, alguns mais ousados disseram que, a Balsa Ecológica “Fantasma” teria sido abduzida por alienígenas.

Pregaram, apenas mais uma peça na população cuiabana, pois a referida balsa foi encontrada atracada em uma marina no bairro porto, abandonada virando sucata, isso, há mais de 2 anos. A única forma de analisar a administração Emanuel Pinheiro (MDB), é a comparando à caixa de pandora.

Professor Licio Antonio Malheiros é geógrafo

>>> Siga a gente no Twitter e fique bem informado

Comente esta notícia