Cuiabá, 30 de Janeiro de 2023
logo

03 de Dezembro de 2014, 10h:05 - A | A

GERAL / CASO DE POLÍCIA

Pacientes não conseguem remédios na Farmácia de Alto Custo

A Ses admitiu que o sistema está fora do ar, mas negou que seja por falta de pagamento do Governo do Estado.

ANA ADÉLIA JÁCOMO
DA REDAÇÃO



A Secretaria de Saúde do Estado entrou em contato com a redação do RepórterMT, há pouco, e informou que o sistema de informática da Farmácia de Alto Custo voltou a funcionar normalmente.

O atendimento na Farmácia de Alto Custo em Cuiabá estava suspenso desde esta segunda-feira (2) por conta de uma pane no sistema de informática.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Oito mil pacientes de todo o Estado dependem de medicamentos controlados. Cerca de 50 pessoas, todos os dias, vão até o local com o intuito de pegar o medicamento. Com o problema ocorrendo desde segunda-feira, cerca de 150 não estão tendo acesso aos remédios e nem podendo dar entrada nos pedidos.

Nesta quarta-feira (3), o RepórterMT esteve no local, localizado na Avenida da Prainha, e constatou que um comunicado informava aos usuários do Sistema Único de Saúde (Sus) que o problema não tinha previsão para ser resolvido.

Pessoas que aguardavam pelos medicamentos denunciaram descaso por parte dos funcionários da Secretaria Estadual de Saúde (Ses). De acordo com os pacientes, nenhuma informação concreta foi repassada a eles, e muitos permanecem aguardando que o problema seja solucionado, mesmo sem ter uma previsão.

“É um absurdo o que está acontecendo. Tem gente que chegou aqui desde as 5h da madrugada e não foi atendido, e nem qualquer explicação foi dada. A única coisa que falam é que o sistema está fora do ar, e sem previsão para ser regularizado. No telefone fixo ninguém atende, nem para passar uma informação”, disse Claudinéia Silva, que busca mensalmente remédio para a mãe que sofre dos rins.

RepórterMT

Farmácia

Pacientes ficam revoltados com o descaso da Secretaria de Saúde do Estado em fornecer medicamentos na Farmácia de Alto Custo. Funcionária não deixa nossa reportagem entrar no local.

Insulinodependente, a idosa Sônia Marília afirmou que está há dois dias tentando buscar a insulina, que toma diariamente. “Cheguei ontem e hoje de madrugada aqui. Passei mais de quatro horas esperando e nada. Já não sei mais o que fazer, pois minhas doses estão acabando”.

Entre os remédios distribuídos pela Farmácia estão a Insulina Lantus, usada no controle glicêmico de diabéticos, a Asma Alenia (fumarato de formoterol + budesonida), indicado para pacientes com asma e bronquite, além de remédios para tratamento de câncer, HIV, doenças do coração e glaucoma.

O outro lado

A Ses admitiu que o sistema está fora do ar, mas negou que seja por falta de pagamento do Governo do Estado à empresa que presta o serviço.

A Comunicação da pasta não soube dizer qual o nome da empresa que faz a manutenção da rede de informática, mas garantiu que o sistema deve ser reestabelecido ainda hoje. 

Uma reunião está sendo realizada na Coordenadoria de Assistência Farmacêutica (Caf) para tentar sanar a questão.

Comente esta notícia