Cuiabá, 01 de Outubro de 2022
logo

16 de Agosto de 2022, 08h:34 - A | A

GERAL / PASSOU POR 6 CIRURGIAS

Idoso que sobreviveu à queda no Portão do Inferno recebe alta após 3 meses

Daniel ficou mais de três meses internado no HMC e passou por seis cirurgias e 66 sessões na câmara hiperbárica

DO REPÓRTER MT



Sobrevivente, depois de despencar com o caminhão carregado com água mineral, no Portão do Inferno, no município de Chapada dos Guimarães (a 65 km de Cuiabá), o caminhoneiro Daniel Francisco Sales, 65 anos, recebeu alta médica na segunda-feira (15), depois de três meses e 11 dias de internação no Hospital Municipal de Cuiabá e Pronto-Socorro “Dr. Leony Palma de Carvalho” – HMC. “O sentimento é de felicidade. Se eu fosse atendido em outro hospital, não sei se estaria vivo”, afirmou o caminhoneiro.

“Ir para a casa é a melhor coisa do mundo. Foi ótimo o atendimento que eu recebi no HMC. Todos os profissionais foram atenciosos, médicos, enfermeiros e técnicos em enfermagem. Sinceramente eu não esperava ficar tão bem, estou sem palavras para expressar minha emoção por estar vivo e recuperado. À administração da unidade hospitalar e aos profissionais da saúde recebam minha eterna gratidão”, completou.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

O diretor-geral, Paulo Rós, da Empresa Cuiabana de Saúde Pública – ECSP, que administra o HMC sob a gestão Emanuel Pinheiro, informou que ao longo do período de internação o caminhoneiro passou por seis procedimentos cirúrgicos e 66 sessões na câmara hiperbárica, que ajuda no processo de oxigenação dos tecidos do corpo, favorecendo a granulação e cicatrização.

“O HMC ofereceu uma estrutura de primeiro mundo para o tratamento do senhor Daniel. Além das múltiplas fraturas e escoriações que ele sofreu, o agravante foi à fratura exposta do pé, fator este que necessitou das inúmeras sessões da câmara hiperbárica, equipamento revolucionário no Sistema Único de Saúde - SUS, pois são poucos hospitais públicos do país que dispõem desta tecnologia considerada primordial para evitar sequelas em decorrência de amputações”, informou Rós.

Segundo o médico e diretor-técnico do HMC, Vinicius Gatto, a agilidade no atendimento foi importante para salvar a vida do caminhoneiro.

“O HMC é o único hospital no estado que possui um heliponto, que possibilitou receber com mais agilidade o senhor Daniel, transportado de helicóptero. E o atendimento com qualidade possibilitou a sua recuperação. Foram realizadas quatro cirurgias ortopédicas, uma cirurgia bucomaxilofacial, uma cirurgia plástica e uma arteriografia (exame diagnóstico). Foram sete dias internado na Unidade de Terapia Intensiva – UTI e depois transferido para a enfermaria com acompanhamento da neurologia, ortopedia, clínico geral, vascular, bucomaxilofacial e toda equipe multidisciplinar”, destacou.

O caminhoneiro espera voltar logo ao trabalho. Ele é morador da cidade de Várzea Grande, casado e chefe de família. “Ainda tenho algumas limitações, estarei finalizando a minha recuperação em casa, mas com acompanhamento médico. Tenho que continuar com as sessões na câmara hiperbárica e tenho retorno já agendada no ambulatório do HMC, com os médicos ortopedista e com o cirurgião plástico”, disse.

“O pior já passou, estou transbordando felicidade, se eu pudesse gostaria de estender minha relação com os profissionais da saúde fora do hospital, espero um dia encontrar com todos para conversar e externar meu carinho para com eles”, enfatizou.

O caminhoneiro ficou conhecido no último dia 04 de maio, após colidir com um paredão, e perder o controle do veículo. Na sequência, caiu no precipício, onde permaneceu por cerca de quatro horas à espera do resgate. O caso ganhou repercussão nacional e foi considerado um milagre de Deus.

Comente esta notícia