Cuiabá, 06 de Dezembro de 2022
logo

15 de Novembro de 2016, 16h:15 - A | A

POLÍTICA / ZONA DE PROCESSAMENTO

Investimentos na hidrovia Paraná-Paraguai irão impulsionar ZPE

Governador recebeu ministro José Serra para debater investimos na hidrovia Paraguai-Paraná e a segurança na fronteira.

DA REDAÇÃO



O governador Pedro Taques (PSDB) recebeu, nesta segunda-feira (14), o ministro das relações exteriores, José Serra (PSDB), para debater sobre a integração da América Latina por meio da Hidrovia Paraguai-Paraná, saindo de Cáceres (Rio Paraguai) até o Pacífico. Durante a reunião, foram tratados temas como o incrementos para a segurança da região de fronteira com a Bolívia.

Em um encontro de mais de três horas, realizado na sala de reuniões Garcia Neto, a equipe discutiu sobre a importância de investimentos na hidrovia. As atividades no Porto de Cáceres deverão trazer desenvolvimento direto para 10 municípios das regiões Sudoeste e Oeste de Mato Grosso.

Conforme o governador, há 26 anos foi assinado o decreto para a criação da Zona de Processamento e Exportação (ZPE) de Cáceres, porém ela saiu do papel somente este ano devido a atuação da atual gestão. “A ZPE já é uma realidade. Mas nós precisamos de logística para que as pessoas venham para cá. De Cuiabá aos portos do Pacífico, é mais perto do que os portos de São Paulo e Paraná”.

Serra ressaltou o potencial econômico da hidrovia Paraná-Paraguai e o desenvolvimento que ela poderá trazer. Contudo, falou que dos estados que compõe a hidrovia, Mato Grosso é o que precisa de mais investimentos. “O andamento do conjunto da hidrovia vai precisar de investimentos em Mato Grosso mais até do que os outros”, disse.

Taques afirmou ainda que o desenvolvimento da região Oeste de Mato Grosso, necessariamente, passa pela relação com os países vizinhos e pela melhoria da segurança na região de fronteira. Na última semana, o governador já havia recebido o embaixador da Bolívia para debater a questão.

Serra ressaltou o potencial econômico da hidrovia Paraná-Paraguai e o desenvolvimento que ela poderá trazer. Contudo, falou que dos estados que compõe a hidrovia, Mato Grosso é o que precisa de mais investimentos. “O andamento do conjunto da hidrovia vai precisar de investimentos em Mato Grosso mais até do que os outros”, disse. 

Segundo o ministro, o bom funcionamento da ZPE passa, necessariamente, pela melhoria na hidrovia. “Se é para exportar, temos que ter transporte. Temos que ter hidrovia, temos que ter estrada, como esta que se reivindica com a Bolívia, temos que ter infraestrutura de transporte, isso é paralelo”.

ZPE

A Zona de Processamento deve ligar a outros centros produtores e exportadores, com o principal objetivo de promover o desenvolvimento econômico, criando empregos e atraindo investimentos. As obras iniciais da ZPE têm valor previsto de R$ 17 milhões, com recursos da Secretaria de Estado de Desenvolvimento.

Com uma área total de 239,68 hectares, a ZPE de Cáceres será dividida em cinco módulos. O espaço poderá abrigar até 230 indústrias. A escolha de Cáceres para a construção da zona aduaneira deve-se à localização estratégica, que possibilita o transporte dos produtos via Rio Paraguai-Paraná e Oceano Pacífico, localizado a 1.700 quilômetros de distância do município.

Comente esta notícia