Cuiabá, 09 de Dezembro de 2022
logo

06 de Dezembro de 2016, 09h:10 - A | A

POLÍTICA / ABUSO DE AUTORIDADE

Acredito no bom senso dos senadores para não aprovar esse projeto como está, diz Moro em Cuiabá

Em palestra em Cuiabá, o juiz federal Sergio Moro, responsável pela Operação Lava Jato, falou sobre o combate à corrupção e criticou a aprovação do projeto que prevê punição a juízes e promotores.

FRANCISCO BORGES
DA REDAÇÃO



Em palestra sobre o combate à corrupção,na noite desta segunda-feira (5), em Cuiabá, o juiz federal Sergio Moro, titular da Vara Criminal de Curitiba (PR), destacou o projeto aprovado na Câmara Federal que prevê a punição a juízes e membros do Ministério Público.

“Acredito no bom senso dos senadores para não aprovar esse projeto uma vez que ele está em uma linha tênue sobre abuso de poder e o que é divergência na interpretação da lei", disse Moro.

“Acredito no bom senso dos senadores para não aprovar esse projeto uma vez que ele está em uma linha tênue sobre abuso de poder e o que é divergência na interpretação da lei. Isso é fundamental para manter a independência da magistratura. Não quero aqui defender juiz, mas uma democracia em uma estado de direito precisa de juízes independentes”, disse o magistrado responsável pela Operação Lava Jato. 

Na palestra que ocorreu no Hotel Grand Odara, Moro argumentou que desde que o projeto foi aprovado, na Câmara Federal, várias manifestações ocorreram e a força popuplar seri a o maior motivo para os parlamentares não aceitarem o projeto. “Não sei se vão votar ou não vão votar. Mas se resolverem votar, eu espero que seja vista a autonomia dos juristas”, disse. 

"Quero aqui elogiar que dentro do deputados deste estado somente um votou contra esse projeto”, defendeu.

O magistrado ainda citou que seis dos oito deputados federais de Mato Grosso votaram de forma favorável à aprovação do projeto na Câmara. Entre eles, Moro destacou o posicionamento do deputado Nilson Leitão (PSDB), que foi o único parlamentar da bancada mato-grossense que votou contra.

“Várias coisas boas foram aprovadas no projeto como  criminalização do caixa dois de campanha. No entanto, o abuso de autoridade contra juízes, procuradores e promotores foi junto, como se isso fosse a causa mais necessária do país. Quero aqui elogiar que dentro do deputados deste estado somente um votou contra esse projeto”, defendeu.  

O projeto foi apovado por maioria na Câmara e foi remetido ao Senado. Agora ele precisa passar por duas votações para ser validado, em 60 dias após ser publicado oficialmente. A primeira votação está prevista para esta terça-feira (6).

O evento contou com a presença do governador Pedro Taques (PSDB), a juiza da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, Selma Arruda e do coordenador do Gaeco, promotor Marco Aurélio de Castro. 

Comente esta notícia

Armindo de Figueiredo Filho Figueiredo 06/12/2016

O Juiz Sergio Moro, foi e é um "E N V I A D O" para dar início às limpezas do país, ou, seja expurgar/retirar das "CENAS" políticas os LAMAÇAIS de corrupções, em que o país atravessava, e que ainda terá que atravessar.....Enfim, separar os homens de "BENS" dos "MAÚS" infiltrados nos meios políticos e empresariais.

1 comentários

1 de 1