facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 24 de Maio de 2024
24 de Maio de 2024

04 de Outubro de 2010, 10h:13 - A | A

POLÍCIA /

PM prendeu 175 pessoas durante a eleição

O Documento



Da Redação

A Polícia Militar de Mato Grosso conduziu 175 pessoas até a delegacia durante o pleito eleitoral deste ano. As ocorrências mais comuns foram de boca-de-urna, quando cabos eleitorais pedem voto aos eleitores na porta das sessões de votação; transporte ilegal de eleitores, também chamado de baldeação, e compra de voto, esse considerado o mais grave dos crimes eleitorais.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

De acordo com o setor de Planejamento da PM, os dois casos mais graves envolvendo compra de voto foram registrados nos municípios de Alto Araguaia e Várzea Grande, onde foram presos, respectivamente, os vereadores Faraó Mendes e Edésio Mendes. Com Faraó, a Polícia Militar apreendeu R$ 10 mil e com Edésio foram apreendidos aproximadamente R$ 1,5 mil.

“Foi uma eleição tranquila, sem registros graves de ocorrências. Isso é resultado do empenho do nosso efetivo e da consciência do eleitor e do planejamento feito pela Polícia Militar com os demais órgãos de segurança”, disse o comandante geral da PM, o coronel Osmar Lino Farias. “Já tivemos eleições que tivemos que enviar reforço pesado de policiamento em cidades do interior do estado. Diferente deste ano, que não tivemos uma ocorrência de gravidade. Quero parabenizar a todos os setores da segurança que se empenharam em garantir uma eleição tranquila e segura”, considerou o secretário de Justiça e Segurança Pública, Diógenes Curado.

COMANDOS REGIONAIS

No CR I (Cuiabá) foram conduzidas sete pessoas, no CR II (Várzea Grande) foram nove, no CR III (Sinop) foram 19, no CR IV (Rondonópolis) foram 52, no CR V (Barra do Garças) foram 34, no CR VI (Cáceres), CR VII (Tangará da Serra) foram 03, CR VIII (Juína) foram 13, CR IX (Alta Floresta) foram 14 e CR X (Vila Rica) foram seis.

Comente esta notícia