Cuiabá, 01 de Outubro de 2022
logo

16 de Agosto de 2022, 06h:08 - A | A

OPINIÃO / GIOVANA FORTUNATO

A importância do pré-natal



Dia 15 de agosto comemora-se o Dia da Gestante. Um momento tão especial na vida de qualquer mulher merece ser cuidado com muito carinho, amor e, principalmente, muita responsabilidade com a saúde. Os exames de pré-natal têm grande importância em todo o processo de gestação, as consultas têm um papel fundamental na saúde do bebê.

As consultas de pré-natal devem começar logo que o casal deseje engravidar. Nesta consulta, são esclarecidas dúvidas e apuradas a presença de doenças prévias ou condições que possam oferecer risco à sua gestação e ao seu bebê. São avaliados o uso de medicações para evitar doenças no feto, e abolir maus hábitos na gravidez.

Ao longo da gravidez devem ser feitas no mínimo seis, mas o ideal é que haja consultas mensais até o sétimo mês de gestação, depois quinzenais e, chegando perto do parto, após o oitavo mês, essas consultas devem se tornar semanais.

Os primeiros três meses da gravidez são muito importantes. Afinal, é nesse período que uma série de transformações passa a ocorrer no organismo da futura mamãe: a produção de hormônios cai, outros passam a ser fabricados, a placenta começa a se formar e o bebê já desenvolve os principais órgãos.

É no primeiro trimestre que a gestante corre maiores riscos de abortos espontâneos e malformações decorrentes de deficiências nutricionais. Por isso, ao planejar uma gravidez, é preciso fazer uma série de exames para conferir se está tudo bem, iniciar a suplementação de ácido fólico e outras vitaminas e ter hábitos alimentares saudáveis.

Cabe ao ginecologista solicitar uma série de exames, como exame de sangue para avaliar o tipo sanguíneo, hemograma e o controle da glicemia, afastando riscos de diabetes gestacional e também para verificação de doenças infectocontagiosas, como sífilis, toxoplasmose, hepatite B e C, rubéola e HIV, que podem provocar sequelas noo bebê.

Também são solicitados no mínimo dois exames de ultrassonografia, sendo um logo no início da gestação, no primeiro trimestre e o outro, entre 20 e 24 semanas. Esses exames conferem se a morfologia e o crescimento fetal estão dentro da anormalidade

A partir do 4º mês a gestante passa a sentir menos enjoos e o bebê começa a crescer rapidamente, com o coração batendo até duas vezes mais depressa que o da mamãe. Neste momento, algumas mães já podem sentir o bebê se mexendo pela primeira vez.

No 5º mês da gravidez deve-se ter cuidado com o aumento de peso, pois a fome pode aumentar e aqueles desejos podem se tornar mais intensos. Nessa fase o bebê se movimenta bastante e a conexão com a mamãe é ainda maior.

Na reta final da gravidez é preciso descansar bastante. A barriga se torna cada vez mais pesada e encontrar uma posição para dormir pode não ser tão fácil. A companhia e apoio do pai e dos familiares é essencial neste momento, pois o grande dia estará bem pertinho.

Giovana Fortunato é ginecologista e obstetra, professora do HUJM, especialista em endometriose e infertilidade e integra a equipe multidisciplinar da Eladium.

>>> Siga a gente no Twitter e fique bem informado

Comente esta notícia