Cuiabá, 09 de Dezembro de 2022
logo

15 de Dezembro de 2016, 15h:20 - A | A

GERAL / VEJA FOTOS E VÍDEO

Taxistas fecham avenidas de Cuiabá em protesto contra o Uber

Na confusão, um taxista ficou ferido após brigar com um motorista e uma picape bateu na traseira de um táxi

RAFAEL DE SOUSA
DA REDAÇÃO



Pelo menos 500 taxistas saíram às ruas, na tarde desta quinta-feira (15), para protestar contra a implantação do aplicativo Uber, em Cuiabá.

Os taxistas fecharam vias movimentadas como as avenidas Beira-Rio, no bairro Porto e Getúlio Vargas, no Centro da Capital, causando longo congestionamento.  

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Na confusão, um taxista ficou ferido, após brigar com um motorista.

Informações da Secretaria de Mobilidade Urbana de Cuiabá (Semob) ao  são de que outro grupo de taxistas também bloqueou o trânsito na região da Arena Pantanal.

A ação faz parte de um protesto nacional pelo fato de a votação de um projeto de lei, que visa a extinguir o Uber no Brasil, não ter sido votada pela Câmara Federal, na noite de quarta-feira (14). A apreciação da proposta foi prorrogada para o mês de março.

Segundo a Semob, a manifestação só terminou próximo ao Parque Mãe Bonifácia, na Avenida Miguel Sutil, depois de os taxistas entrarem em acordo com os agentes.

Parte dos motoristas acatou o pedido devido a situação de congestionamento de várias ruas da região Central. Outra parte seguiu para a Assembleia Legislativa, cobrar um posicionamento dos deputados.

Os taxistas de Cuiabá têm se posicionado de forma contrária à implantação do serviço de transporte alternativo através do aplicativo Uber.

Para tentar barrar o novo sistema, a categoria articula medidas por meio do Sindicato dos Taxistas de Cuiabá (Sintax).

Existem atualmente 604 taxistas regulamentados na capital e 178 em Várzea Grande, que possuem a documentação necessária e foram vistoriados para fazer o transporte de passageiros.

A crise econômica que o país enfrenta também afetou os taxistas, que registraram uma queda de 30% do movimento.

O sistema Uber tem sido atrativo a população porque o usuário solicita uma corrida pelo aplicativo de celular, que calcula o preço automaticamente baseado no tempo e distância percorrida.

O motorista (parceiro cadastrado) que estiver mais próximo do destino solicitado escolhe pelo celular que aceita ou não a solicitação.

Como a tarifa do Uber é até 50% menor que a do táxi, a categoria considera uma concorrência desleal e, por este motivo, o Sintax se posiciona contra. Outro fator é que esses motoristas atuam sem a necessidade de concessão ou o pagamento de taxas e impostos. 

Já a população demonstra ser a favor da implantação do Uber em Cuiabá e Várzea Grande.

Em diversos grupos onde o assunto é debatido, nas redes sociais, cerca de 85% dos internautas são favoráveis ao novo modelo de transporte e apontam o preço como o fator mais atrativo.

No Brasil, o aplicativo começou a ser implantado no Rio de Janeiro, em maio de 2014.

O Uber hoje está ativo em São Paulo, Brasília, Goiânia , Salvador, Londrina, Campinas, Santos, Curitiba, Porto Alegre, Fortaleza, Recife  e Vitória. 

Na tentativa de impedir a instalação do Uber em São Paulo e no Rio de Janeiro, os taxistas realizaram grandes protestos, fechando as ruas e avenidas contra a liberação.

Veja vídeo:

 

 

Álbum de fotos

Comente esta notícia

ZINHO PC 18/12/2016

É lamentável que o taxi em Cuiabá é um monopólio, 90% dos taxis na capital são de uma empresa só, e por isso esta acabando com a categoria. Hj qualquer pessoa pode ser taxista so ir ate a empresa e pagar diária de 120 que sai com taxi, pór isso virou o que virou, motorista mal preparado inginorantes mechem com as mulheres e desrespeitam os idosos, sem falar que não levam a pessoa se for em local perto e nas periferia não deixam as pessoas em suas casas deixam na avenida ao relento. LAMENTAVELLLLLL ESTE MONOPOLIO.

Luciano 15/12/2016

Vamos fazer o seguinte a partir de amanhã os táxis não paguem mais taxas e virem ubers melhor coisa... estão acostumados a cobrar viagem Cuiabá x várzea Grande 100 reais a noite...

Júlio Barros 15/12/2016

A manifestação dos taxistas não é para impedir os aplicativos de funcionamento, mas para que sejam regulamentados pelos órgãos competentes. Táxi, moto táxi, Escolar, Veículos de Frete urbano, Transporte Coletivo, Táxi Aéreo, Transporte Ferroviário, Transporte Inermunicipal de Passageiros ( Ônibus ), transporte em Embarcações, entre outros, são regulamentados e fiscalizados, pagam impostos municipais, estaduais e federais. Porque os aplicativos de transporte individual de passageiros devem ser desobrigados de cumprir a lei?

Ana 15/12/2016

Eu já falei que todos tem direito de trabalhar .deste que eles paguem o mesmo imposto que os taxista .sou esposa de um taxista para ele poder dirigir um táxis ele tevê que mudar a categoria má carteira para poder transportar pessoas isso não sai barato .e tevê que fazer cursos porque e obrigatório muitos deles São seguradores. isso que eles fizeram e um protesto para eles garantir a comida dos filhos deles .

Aleph Braga 15/12/2016

UBER Já!!!!

Careca 15/12/2016

Uber no 12. CHUPA bando de mal educados, desleais, pilantra, infratores das leis de trânsito. Ou evoluem e viram Uber, ou queimem no inferno.

JEFERSON MATOS 15/12/2016

Bem vindo UBER.

Carlos Rodrigues 15/12/2016

Cadê a polícia pra desobstrução da via pública?

FÁBIO NALIN 15/12/2016

PARABÉNS VCS ESTÃO CONTRA O UBER E ADVINHA QUE ESTARÃO CONTRA VCS POR FECHAREM AS AVENIDAS??????????????

9 comentários

1 de 1