facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 17 de Julho de 2024
17 de Julho de 2024

27 de Outubro de 2017, 11h:20 - A | A

GERAL / RONDONÓPOLIS

Sem salário há 4 meses, médicos da Santa Casa param de trabalhar

Esta é a terceira vez somente este ano que a Santa Casa suspende os serviços, por falta de verbas. Os médicos da unidade alegam atrasos nos repasses feitos pelo município e pelo governo estadual.

CAMILA PAULINO
DA REDAÇÃO



Após quatro meses sem receber salários, os médicos da Santa Casa de Rondonópolis (212 km ao Sul de Cuiabá) paralisaram os atendimentos de pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) e suspenderam cirurgias a partir desta quinta-feira (26) na unidade até que os valores atrasados sejam repassados.

Esta é a terceira vez somente este ano que a Santa Casa suspende os serviços, por falta de verbas. Os médicos da unidade alegam atrasos nos repasses feitos pelo município e pelo governo estadual.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

"Vocês conseguiriam ficar quatro meses sem receber? O governador ou o secretário [de Saúde] poderiam trabalhar sem receber durante quatro meses?", questionou o diretor clínico do hospital, Luciano Oliveira, em entrevista concedida à TV Centro América.

Por meio de nota, a Secretaria de Saúde de Rondonópolis disse que encaminhou todos os recursos federais e estaduais que recebeu para a Santa Casa.

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT) afirma que mesmo diante de dificuldades financeiras, manteve o compromisso de realizar os repasses para os hospitais filantrópicos e garante não constar atrasos.

Porém a Federação dos Hospitais Filantrópicos de Mato Grosso contesta e diz que além da Santa Casa de Rondonópolis, outros três hospitais também estão com as verbas atrasadas. 

A Santa Casa de Rondonópolis é referência em maternidade e cardiologia para 19 municípios da região Sul.

A unidade ingressou na Justiça para forçar o Estado a pagar os repasses atrasados.

Leia a nota da Secretaria de Saúde de Rondonópolis

"A Secretaria Municipal de Saúde de Rondonópolis informa que não há na conta do município nenhum recurso destinado à Santa Casa que ainda não tenha sido repassado ao hospital. Todos os recursos, tanto federais quanto estaduais já foram repassados."

Abaixo, a nota da SES na íntegra

"Quem faz a contratualização dos serviços prestados pela Santa Casa de Rondonópolis é a Prefeitura. O Governo do Estado de Mato Grosso não possui nenhum contrato com a Santa Casa e tampouco com os demais hospitais filantrópicos da Capital. Por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES), o governo do Estado já ajuda estes hospitais, já que parte dos recursos repassados mensalmente para os fundos municipais de saúde de Cuiabá (R$ 3,3 milhões) e Rondonópolis (R$ 1,3 milhão), definidos pela Portaria 111/2017, são repassados pelas prefeituras para os hospitais filantrópicos. Além disso, por meio da Portaria 112/2017, o Estado instituiu o cofinanciamento estadual não obrigatório para o custeio mensal de leitos em UTI para unidades hospitalares em Mato Grosso que incluem os hospitais filantrópicos de Cuiabá e Rondonópolis.

Além destes repasses, o Governo do Estado vem apoiando e auxiliando os filantrópicos desde 2015 com repasses de forma emergencial e voluntária. Divididos em seis parcelas, os recursos repassados somam R$ 15 milhões, além de mais um repasse acordado em agosto passado no valor de mais R$ 7,5 milhões, que foi dividido em três parcelas de R$ 2,5 milhões a serem pagas nos meses de setembro (a parcela já foi paga), outubro e novembro.  Este é o único compromisso que o governo do Estado mantém com estas instituições e que, apesar das dificuldades financeiras que o Estado enfrenta, vem sendo cumprido. Diante do que foi exposto, a SES ressalta que não procede informações divulgadas em redes sociais que afirmam que o Estado 'está desde junho em atraso'."

 

Comente esta notícia