Cuiabá, 14 de Agosto de 2022
logo

15 de Setembro de 2021, 15h:36 - A | A

GERAL / ‘BBB’ NA SEGURANÇA

Governo de MT quer colocar câmeras em fardas para proteger policiais

A intenção, segundo o ouvidor-geral de polícia, Lúcio Andrade, é garantir mais segurança à atuação dos agentes e inibir falsas acusações após atendimento das ocorrências.

MÁRIO ANDREAZZA
DA REDAÇÃO



A Polícia Militar de Mato Grosso anunciou a possibilidade de acoplar câmeras nos uniformes de policiais com o objetivo de protegê-los e dar mais segurança aos agentes durante as abordagens. A ferramenta já é utilizada em outros Estados como Rondônia e Santa Catarina.

O porta-voz foi o ouvidor-geral de polícia, Lúcio Andrade, durante a inauguração da 4ª Companhia Independente de Segurança Institucional, na manhã desta terça-feira (14), em Cuiabá.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Lúcio Andrade esteve em São Paulo para conhecer o sistema de câmeras instaladas nos uniformes dos agentes da PMSP.

Segundo o ouvidor, a ideia é aderir às câmeras que possam ser acopladas à farda dos policiais com o objetivo de gravar, em áudio e vídeo, as ocorrências.

A intenção é registrar a conduta dos policiais durante a intervenção, o que pode inibir abusos por parte das autoridades e protege os militares de falsas acusações decorrentes da ocorrência.

Além disso, está em processo de análise a contratação de tecnologia de reconhecimento facial que se comunica com o banco nacional de mandados de prisão.

Leia também

Polícia abre concurso público com salários a partir de R$ 18,7 mil

Lúcio ainda exemplificou a importância da tecnologia com a arma teaser, aparelho de choque, que possibilita intervenções policiais com risco reduzido de a ação terminar em morte.

"A tecnologia ajuda não só a prevenção e punição de crimes, mas garante mais segurança para nossos agentes. O uso do teaser (aparelho de choque) é uma necessidade para abordagens em que se pode reduzir a letalidade de ações policiais e a exposição ao risco de morte do próprio policial", afirma o ouvidor-geral.

O ouvidor-geral explicou que a 4ª Companhia é ligada ao 1º Comando Regional, setor que conta com uma sala de monitoramento de onde é possível observar 26 câmeras distribuídas na região, onde se localizam órgãos públicos estaduais, federais e órgãos de controle.

Comente esta notícia