Cuiabá, 06 de Dezembro de 2022
logo

17 de Dezembro de 2016, 07h:55 - A | A

VARIEDADES / HUMOR OU DESRESPEITO

Cemitério usa bom humor para divulgar crematório e post no Facebook viraliza

Em apenas três horas no ar, a publicação já contava com mais de 2 mil compartilhamentos e quase 4 mil curtidas

EXTRA GLOBO



Uma publicação na página do Cemitério Jardim da Ressurreição, localizado em Teresina, no Piauí, vem causando reações diversas. Trata-se de uma imagem simples de uma urna com a seguinte legenda: "Gente tão especial que dá vontade de guardar num potinho".

Na chamada do post, o complemento: "Uma das vantagens para quem opta pela cremação: ficar sempre perto de quem você ama. Fala com a gente! Temos vários modelos de urnas para cinzas. #cemi". A ação faz parte da divulgação do crematório recém-inaugurado, o primeiro da cidade

>> Clique aqui e participe do grupo de WhatsApp 

Em apenas três horas no ar, a publicação já contava com mais de 2 mil compartilhamentos e quase 4 mil curtidas. Uma rápida viralização de um conteúdo, na verdade, alinhado com outras postagens da página, comandada pela CJ Flash, uma agência publicitária de Teresina.

Na ocasião da chegada do crematório, no fim de novembro, a publicação feita para divulgar a novidade fez piada com o Conclave, reunião de colégio de cardeais que ocorre para a escolha de um novo Papa: "Habemus Crematorium!".

Há cerca de um ano, a página do cemitério sofreu uma guinada para publicações cercadas de humor. O redator Onildo Filho, administrador da fan page, relata que o material anterior, baseado em textos reflexivos e mais suaves, obtinha pouco impacto.

Segundo Onildo, tudo mudou após a adoção de um tom mais ácido. Ele conta que o principal objetivo dos posts é desconstruir a carga pesada que gira em torno do assunto morte.

— Tentamos gerar conteúdo mórbido, mas não bizarro. É uma limite tênue, mas que parece vir dando certo — conta Onildo, lembrando que a página do Jardim da Ressurreição já conta com mais de 48 mil fãs.

As reações dos internautas, segundo o redator, são positivas em sua maioria. O cemitério, inclusive, tem um apelido: Cemi.

— A força do Facebook se reflete até em números comerciais, acredite. No último ano, houve aumento de 56% nas vendas de jazigos — revela Onildo.

O redator diz que pode contar nos dedos de uma mão as vezes em que precisou voltar atrás em alguma ideia de postagem.

— Claro que, muitas vezes, ficamos olhando pra tela, pensando um pouco antes de publicar. Mas nosso feedback é muito positivo, muita gente acompanha a página e nosso cliente está muito satisfeito! — celebra.

Comente esta notícia