Cuiabá, 05 de Outubro de 2022
logo

10 de Dezembro de 2013, 09h:27 - A | A

POLÍTICA / DETRAN-MT

Publicada no Diário Oficial a nomeação de Eugênio Destri como novo presidente

Destri entra no lugar de Gian Castrillon, que não resistiu a operação Ararath II

DA REDAÇÃO



O ex-diretor do Detran de Mato Grosso, Eugênio Destri (PR), que trabalhou na Autarquia durante a gestão de Teodoro Moreira Lopes, o Dóia, foi nomeado presidente do órgão nesta segunda-feira (9). A informação consta no Diário Oficial do Estado (DOE) que circula nesta terça-feira (10).

O DOE também publica no dia de hoje a revogação do ato governamental que designou o Secretário-Chefe da Casa Civil, Pedro Nadaf (PR) para responder pelo órgão interinamente.

Destri assume no lugar de Gian Castrillon (DEM).

As negociações em torno do nome do ex-diretor de Habilitação começaram na semana retrasada, após a exoneração do então presidente Gian Castrillon, que não resistiu ao escândalo da operação Ararath II, deflagrada pela Polícia Federal.

A PF teria grande soma de dinheiro na casa dele, após cumprir mandado de busca.

Eugênio Destri goza de prestígio entre os servidores da autarquia e dentro do próprio governo.

Crise:

A autarquia é um dos órgãos da administração estadual mais problemáticos e criticados pela população, por conta das altas taxas cobradas e estrutura e atendimento ruins. O próprio sindicato dos Servidores (Sinetran) vem há vários meses questionando a precariedade da estrutura oferecida, incompatível com o que o órgão arrecada.

Segundo projeções da diretoria, o Detran deve fechar 2013 com arrecadação próxima de R$ 280 milhões. O repasse feito pelo governo ao órgão, até agora, não chega a R$ 40 milhões. Toda a arrecadação da autarquia vai para a Conta Única do Estado o que pode dificultar a gestão do Departamento.

Durante a greve, que durou 20 dias, o governador chegou a ironizar, dizendo que o dinheiro repassado seria suficiente para comprar papel e café, numa demontração, segundo servidores, de desrespeito ao trabalho da categoria.

O ex-presidente Gian Castrillon, investigado pela PF e com sua administração colocada em xeque, com uma auditoria proposta pelo governador, foi exonerado na última sexta-feira (29.11) e deixou carta de despedida, reafirmando a dificuldade em tocar o departamento.

"É publico que o DETRAN-MT, apesar de ser uns dos órgãos que mais arrecada no Estado, não administra o montante arrecadado, uma vez que o mesmo vai para a Conta Única, ficando a cargo do Governo do Estado definir os repasses devidos aos órgãos da Administração Estadual". A carta saliente que as dificuldades foram agravadas devido à escassez de recursos repassados.

Comente esta notícia