facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 15 de Julho de 2024
15 de Julho de 2024

12 de Junho de 2024, 10h:31 - A | A

POLÍCIA / RAÇA INFAME

Pai é preso por estuprar filha internada na UTI

Funcionários do hospital filmaram o criminoso com a mão dentro do avental da vítima, e fizeram a denúncia.

TERRA



O pai de uma adolescente de 17 anos foi preso por estupro de vulnerável após abusar sexualmente da própria filha, internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital em São Paulo, com uma traqueostomia. Funcionários do hospital filmaram o criminoso com a mão dentro do avental da vítima, e fizeram a denúncia. O caso foi exposto pelo Profissão Repórter, da TV Globo, exibido nesta terça-feira, 11.

Os vídeos foram gravados durante uma madrugada pela equipe de enfermagem, que desconfiou do comportamento do pai da menina. O crime de estupro de vulnerável é classificado assim quando a vítima é menor de 14 anos, ou quando está em um estado de vulnerabilidade, e não pode se defender do crime, como foi o caso.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

O exame de corpo de delito constatou que houve abuso sexual, com lesões provocadas pelo pai, segundo a delegada seccional de São Bernardo do Campo, Kelly Cristina Sacchetto.

Sete funcionários foram ouvidos pela polícia, e relataram que, durante a noite, os sinais vitais da paciente ficavam alterados na presença do pai. Ele disse que queria que a filha saísse da UTI para ter mais privacidade com ela, e muitas vezes fechou a cortina do leito.

Outra testemunha alegou que, depois da filmagem, pela manhã, percebeu que a menina estava muito agitada na hora de trocar a fralda, e notou que as partes íntimas dela estavam vermelhas e com fissuras.

Duas funcionárias que atenderam a adolescente concederam entrevistas ao Profissão Repórter. Elas disseram que, durante o tempo que a menina ficava com o pai, ela se agitava mais, tinha taquicardia e toda a equipe ficou alerta. "A gente não queria acreditar que era o que realmente a gente estava vendo ali era uma situação de abuso”, disse uma funcionária.

Elas ainda disseram que presenciaram outras situações de abuso do pai com a filha. "Ele acariciou o seio dela. Eu vi por duas vezes na noite de sexta-feira, ele abria a fralda dela por duas vezes e nós brigamos com ele que não era para ele fazer aquilo. Ele mexia muito na perna, beijava meio que de canto de boca, se esfregava na beira da cama e, ao sair, ele ajeitava a roupa e se direcionava ao banheiro", relatou a profissional. Leia mais no Terra

Comente esta notícia

Wilma Comim 12/06/2024

Que horror! É o fim do mundo mesmo.

positivo
0
negativo
0

1 comentários

1 de 1