Cuiabá, 27 de Novembro de 2022
logo

02 de Dezembro de 2016, 08h:20 - A | A

POLÍCIA / "BRASIL CENTRAL SEGURO"

Operação cumpre 493 mandados contra o crime organizado em Mato Grosso

A operação da Secretaria de Segurança Pública do Estado será realizada durante toda essa sexta-feira. O combate é contra crimes de tráfico de drogas, roubo e homicídio.

DA REDAÇÃO



A Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) realiza nesta sexta-feira (02), mais uma edição da Operação Brasil Central Seguro em todo o estado de Mato Grosso. Ao todo, são 493 mandados, sendo 191 mandados de prisão e 302 mandados de busca e apreensão que devem ser cumpridos durante todo o dia.

O objetivo da ação, de acordo com a Sesp, é prender bandidos que atuam nos crimes de tráfico de drogas, roubo, furto, homicídio, além de apreensão de armas e drogas.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

A ação integrada abrange todos os municípios de Mato Grosso e reúne mais de 2 mil profissionais das forças de Segurança Pública, entre policiais civis (916) e militares (1175), bombeiros, perícia técnica e agentes do Departamento Estadual de Trânsito (Detran).

De acordo com a secretaria, a estratégia inclui ainda centenas de ações ostensivas e preventivas ao longo das próximas 24 horas, tais como blitzes, bloqueios, fiscalização de estabelecimentos comerciais e abordagens de veículos e pessoas.

"Mais uma vez vamos demonstrar a capacidade de integração e, mais importante, de interação entre as forças de segurança pública. Só assim é possível concretizar uma operação desse porte . Quem ganha é a sociedade, que se sente mais segura", disse o secretário de Segurança Pública, Rogers Jarbas.

Bairro Seguro

Desenvolvida com o apoio de lideranças comunitárias, a estratégia da “Bairro Seguro” vem sendo colocada em prática desde abril, com resultados positivos para a redução de homicídios a crimes patrimoniais.

"A Operação Bairro Seguro é fruto de um planejamento integrado em todos os níveis de ação: estratégico, tático e operacional. Atendemos demandas que estavam reprimidas. Tivemos vários pedidos das comunidades para que intensificássemos o policiamento, aumentando o número de policiais e viaturas nas ruas. Alinhamos as demandas comunitárias com as questões técnicas das análises criminais da secretaria”, disse o secretário.

Comente esta notícia