Cuiabá, 02 de Julho de 2022
logo

Domingo, 30 de Outubro de 2011, 19h:29 - A | A

DONO DO ANGLO

Mesmo com retrato falado, polícia segue sem pistas do atirador

O assassinato do professor completou um mês neste sábado

MAYARA MICHELS

Após um mês da morte do empresário e professor Luiz Antônio Dias Santos, de 60 anos, a Polícia Civil ainda não tem a motivação e nem identificação do autor do crime. Um retrato falado foi feito e divulgado pela polícia, mas nenhuma denúncia foi feita. “O retrato foi bem divulgado, mas pelo incrível que pareça, não recebemos nenhuma ligação”, disse o delegado que comanda as investigações, Antônio Garcia.

Ainda segundo o delegado, há várias hipóteses para motivação do crime, porém, nenhuma delas com fortes indícios. “O que tudo indica é que o atirador foi contratado para matar. Mas o crime pode ter sido a mando de um relacionamento passado ou atual, de algum aluno ou pai de aluno. Hipóteses são várias se for colocar no papel”, destacou.

Para a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), a motivação do crime hoje para a polícia está em segundo plano. A prioridade é encontrar o pistoleiro (na foto) para que, através dele, descubra o motivo. Uma segunda pessoa já foi identificada pelo delegado, o motorista que teria dado fuga ao atirador. “As imagens estão com muita claridade, devido o reflexo do sol mandamos para perícia para saber a placa do veículo. Assim que for concluído iremos divulgar na imprensa o retrato falado do motorista”, informou o delegado responsável pelo caso.

Os investigadores de polícia estão com uma viagem marcada para Vilhena (RO), cidade onde o empresário abriu a primeira escola Anglo junto com a ex-mulher. “Apesar de já ter feito uma investigação por uma equipe de Vilhena e não ter encontrado nada, queremos ouvir as pessoas que conviveram com ele”, explicou.

O professor de exatas e proprietário do Colégio Anglo foi assassinado em frente ao colégio localizado na Avenida Isaac Póvoas, no dia 29 de setembro. O criminoso esperou o professor na frente do estacionamento e sabia a rotina dele. Latrocínio (roubo seguido de morte) foi descartado, já que o assassino matou e fugiu sem roubar nada da vítima.

Comente esta notícia

rubens batista 04/12/2011

Espero que sinceramente esse crime seja desvendado.O professor Luis nao merecia isso, como alias ninguem merece,a justiça esta ai para punir o erro de cada um e nao pistoleiros e seus mandantes.

1 comentários

1 de 1