Cuiabá, 02 de Fevereiro de 2023
logo

19 de Dezembro de 2014, 06h:29 - A | A

POLÍCIA / EDIÇÃO EXTRA

Esquema teria sido revelado em setembro do ano passado em site

“Um proprietário de uma gráfica chamado para integrar a fraude procurou o MPE e revelou o crime”, disse o delegado

DA REDAÇÃO



O site O Documento, em reportagem publicada em setembro do ano passado, pode ter ajudado a polícia nas investigações que deram desdobramento na Operação Edição Extra. Leia aqui. A reportagem diz que duas gráficas poderiam ter sido usadas como 'dutos' de lavagem de dinheiro.

Nesta quinta-feira (18), os policiais prenderam os secretários-adjuntos Elpídio Spizzi (Secretaria de Comunicação) e José de Jesus Nunes Cordeiro (Secretaria de Administração) durante a operação.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Segundo o delegado Carlos Cunha, da delegacia fazendária, os dois eram responsáveis pela realização do certame, onde o suposto esquema ocorreu. “Denúncias apontaram que os dois foram coniventes com a fraude, já que sabiam o modo operante do esquema e teriam combinado tudo, com os empresários foragidos”, destacou.

Cunha ainda explicou que o susposto esquema consistia em processos licitatórios ‘viciados’, onde os empresários, que apresentavam as propostas, já sabiam qual firma iria ganhar o direito de prestar o serviço ao Estado. 

Os empresários Dalmi e Fábio Defanti, donos da Gráfica Print e Defanti, foram dois são alvos da operação policial. Eles se apresentaram na manhã desta sexta-feira (19) e foram ouvidos pela delegada responsável pelas investigações. 

Comente esta notícia