Cuiabá, 01 de Fevereiro de 2023
logo

30 de Novembro de 2022, 16h:27 - A | A

POLÍCIA / "FAMÍLIA ESTÁ TRAUMATIZADA"

Empresária ameaçada por delegado não sabia sobre medida protetiva, diz advogado

Advogado da família disse que todas as medidas judiciais possíveis serão tomadas contra delegado.

APARECIDO CARMO
DO REPÓRTER MT



A empresária Fabiola Cássia Garcia Nunes, que teve a casa invadida pelo delegado Bruno França na segunda-feira (28), em um condomínio de Cuiabá, não sabia que havia uma medida protetiva contra ela, que a impedia de se aproximar do enteado do agente. A informação é do advogado Rodrigo Pouso, que representa a família e falou com o RepórterMT.

“Ela não foi citada nessa medida, não tem citação dessa medida. Então ela não tinha nem conhecimento e ele não podia cumprir medida nenhuma, porque ela não foi citada”, disse o advogado.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Ele conta que também foi agredido verbalmente pelo delegado, depois que ele expôs a irregularidade na ação policial.

“Ela foi conduzida pela viatura do GOE, eu fui atrás com o meu carro. Chegou lá, eu fui falar com ele, porque ele estava dizendo que estava cumprindo a medida. Eu fui falar: ‘mas você sabe se ela foi intimada?’. Aí ele me passou o número da medida e depois acho que caiu a ficha dele que ela não tinha sido intimada, me xingou”, explicou.

Pouso conta que a família está traumatizada com a ação, realizada na frente de uma criança de quatro anos de idade, que inclusive ouviu quando o delegado disse que ia “estourar a cabeça" da mãe.

“A família está abalada, o cara meteu arma em todo mundo lá. Colocou a arma na cabeça da criança, traumatizou a ação brutal dele. Todas as medidas judiciais contra ele serão promovidas, tanto da minha pessoa, como advogado, profissional, como da família”, acrescentou.

Rodrigo Pouso informou que vai formalizar a representação contra Bruno França junto à Corregedoria da Polícia Civil na quinta-feira (1º).

A ação ocorreu no condomínio Florais Cuiabá na última segunda-feira (28), mas as imagens se tornaram públicas no dia seguinte. É possível ver o delegando arrombando a porta e invadindo a casa acompanhado por policiais militares. Ele manda a mulher deitar no chão e chega a apontar a arma na direção dela.

Enquanto uma criança chora e grita, o marido pede que o delegado tenha calma. Ao que ele responde que ia estourar a cabeça dela. Veja o vídeo abaixo:

 

 

LEIA MAIS - Corregedor da PJC confirma que delegado pode perder o cargo por ameaçar mulher de morte

Comente esta notícia

valeria 30/11/2022

Pra este padrasto chegar a este ponto, é porque essa madrasta aprontou muito,tirou do sério, e porque o pai desta criança não tomou atitude? Cadê este pai? Não viu que está mulher estava agredindo uma criança?

1 comentários

1 de 1